Casa Cerro da Correia

A casa foi construída em 1953 pelos nossos avós, José Maria Direito e Elvira Direito, como casa de férias.

Localizada a 900 metros de altitude a casa tem 4 quartos, cozinha equipada, 2 salas e 2 casas de banho. No exterior há um pátio, para refeições ao ar livre, e os jardins que se prolongam até ao pinhal onde pode descansar, fazer caminhadas ou piqueniques.

A ligação da Casa Cerro da Correia à natureza também se faz através de de um jovem pomar e de uma horta com produtos típicos da agricultura de montanha.

A nossa vista é real | A Estrela brilha todo o ano

#anossavistaereal | #aestrelabrilhatododoano

Serra da Estrela, fonte de todas as verdades locais

A Serra é mesmo um lugar fantástico…

A Serra da Estrela é um lugar… perdão, um conjunto de lugares absolutamente fantásticos. A variedade é inigualável e transporta qualquer visitante para a sua própria história.

Fotogaleria de Manuel Ferreira

Perdoem-me a paixão com que falo da “Serra”! Não o faço apenas por ser serrano, faço-o principalmente porque em cada vez que resolvo “subir a serra” me vejo envolvido num enredo de uma história completamente diferente.

Já houve romances… já houve aventuras… já houve comédias e até tragédias… Os atores destas histórias foram vários mas a protagonista foi sempre a mesma… A Serra.

É impressionante o poder que ela tem para conduzir a nossa mente… é irreal a forma como nos faz sentir os elementos quando respiramos, imaginar seres místicos quando observamos, criar fantasias enquanto saboreamos, cantarolar enquanto ouvimos ou recordar quando tocamos…

Assim falava Miguel Torga Sobre a Beira e a Serra da Estrela

“Alta, imensa, enigmática, a sua presença física é logo uma obsessão. Mas junta-se à perturbante realidade uma certeza ainda mais viva: a de todas as verdades locais emanarem dela. Há rios na Beira? Descem da Estrela. Há queijo na Beira ? Faz-se na Estrela. Há roupa na Beira? Tece-se na Estrela. Há vento na Beira? Sopra-o a Estrela. Há energia elétrica na Beira? Gera-se na Estrela. Tudo se cria nela, tudo mergulha as raízes no seu largo e materno seio. Ela comanda, bafeja, castiga e redime. Gelada e carrancuda, cresta o que nasce sem a sua bênção; quente e desanuviada, a vida à sua volta abrolha e floresce. O Marão separa dois mundos — o minhoto e o transmontano. O Caldeirão, no pólo oposto de Portugal, imita-o como pode. Mas a Estrela não divide: concentra.”

Herman Melville e o misticismo da Serra, em “Moby Dick”

Aqui, a verdade da vida iguala a lenda, mesmo quando se trata de uma velha história como a da Serra da Estrela em Portugal, onde se diz existir perto do cume um lago em cuja superfície flutuam as carcaças de navios naufragados no oceano…”

Vergílio Ferreira, em “A Estrela”

Um dia, à meia-noite, ele viu-a. Era a estrela mais gira do céu, muito viva, e a essa hora passava mesmo por cima da torre. Como é que não a tinham roubado? Ele próprio, Pedro, que era um miúdo, se a quisesse empalmarm era só deitar-lhe a mão. Na realidade, não sabia bem para quê. Era bonita, no céu preto, gostava de a ter. Talvez depois a pusesse no quarto, talvez a trouxesse ao peito. E daí, se calhar, talvez a viessa a dar à mãe para enfeitar o cabelo. Devia-lhe ficar bem, no cabelo.

Deixe-se seduzir pela Casa das Penhas Douradas

O Boutique Hotel Casa das Penhas Douradas, Design Hotel e SPA

A construção da Casa das Penhas Douradas, Design Hotel e SPA, tem na sua essência  a arquitectura local.  As preocupações ambientais, alinhadas com os valores do Parque Natural onde se insere, são evidentes.

Em plenas Penhas Douradas, um dos lugares mais puros de Portugal, podemos desfrutar de um conjunto de actividades ao ar livre que nos afastam do stress e do dia a dia.

Estrada do Malhão, Penhas Douradas

Estrada do Malhão, Penhas Douradas – Manuel Ferreira Fotografia

Aproveite para percorrer os arredores do Hotel. Vai descobrir lugares únicos, pintados de cores diferentes, em cada época do ano.

Visite o Vale do Rossim logo ali ao lado. No verão poderá divertir-se no espelho de água, com várias actividades de animação turística que ali são desenvolvidas, ou refrescar-se nas águas translúcida da lagoa.

Redescubra o Covão da Ponte e dê por si em plena harmonia com a natureza.

A Serra da Estrela tem já cerca de 250 km de percursos pedestres marcados, muitos deles podem ser percorridos de bicicleta, por isso a variedade é grande… é só escolher.

De volta ao Hotel, aproveite o Spa e renove-se. Ar, água e altitude aqui são sinónimos de Saúde.

www.casadaspenhasdouradas.pt

Do complexo da piscina pode olhar a Serra da Estrela de uma outra perspectiva. As janelas panorâmicas funcionam como quadros vivos, pintados pela mais virtuosa das pintoras, a Natureza. É uma sensação única poder desfrutar de um banho quente enquanto vemos a neve cair do lado de fora.

A gastronomia é desafiante. Um misto de cozinha regional com cozinha de autor. Sabores fortes e únicos, harmonizados por vinhos selecionados.

Em cada época do ano, a Serra oferece matéria prima gastronómica distinta e de enorme qualidade.

A truta, o cabrito, a castanha, a abóbora, a carqueja, o zimbro, as ervas, os queijos (de ovelha ou de cabra), os cogumelos selvagens… São só alguns exemplos da riqueza de sabores que a Serra humildemente nos oferece e que o Restaurante da Casa das Penhas Douradas, delicadamente converteu em pratos deliciosos.

Um hotel único e múltiplas experiências…

Região beirã é elite no turismo de saúde

O turismo de saúde está associado à atividade médica, no entanto a vertente de bem-estar da pessoa e a versão turística está cada vez mais na moda.

O foco é sempre a saúde, mas o cuidado com o corpo e a mente é cada vez mais uma preocupação dos portugueses. Muita gente procura este género de turismo fora do país, como é o casa da Tailândia, a Índia ou até o Brasil. No entanto, Portugal é riquíssimo nesta área medicinal. Alguns dos casos mais notórios são os distritos de Castelo Branco e da Guarda.

Em Castelo Branco encontra as Termas de Monfortinho e o H2otel Congress & Spa. Já no distrito da Guarda a oferta é mais alargada, existindo cinco locais de destaque. As Termas de Longroiva e as Termas do Cró, complexos termais de luxo. Mas no mesmo distrito encontra ainda as Termas Caldas da Cavaca, as de Fonte Santa (Almeida) ou o Inatel em Manteigas.

produtos beleza

Todas as unidade termais localizam-se em locais tranquilos e aprazíveis, com contacto direto com a natureza, o que facilita o bem-estar quer físico quer mental. Quase todas a unidades dispõem para além dos serviços terapêuticos, unidades hoteleiras e serviços associados ao mesmo (como é o caso dos restaurantes, bares, etc…) para que a sua estada seja calma e relaxante.

As sete termas indicadas possuem a vertente estética, mas o lado médico não é descorado, existindo serviços como o termalismo clássico, a hidroterapia, imersões, a vapor ou na área das vias respiratórias.

Já não necessita de viajar para outro país ou outro continente. O nosso pequeno Portugal está apetrechado de maravilhas que ainda muitos desconhecem. Neste locais encontrará a paz de espírito que tanto procura.

 

Covão d’Ametade, um dos mais bonitos quadros da Serra da Estrela

Esboçou-o uma antiga lagoa de origem glaciar, definindo uma pequena planície como fundo. Pintou-o a Natureza, adicionando o fundo verde dos cervunais e as cores quentes da floresta de bétulas.

É aqui que, acabadinho de nascer e guardado pelos imponentes cântaros, o rio Zêzere inicia o seu percurso, a 1420m de altitude, seguindo em direção ao vale glaciar a que dá nome.

 

Fotogaleria por Manuel Ferreira Photography

 

O Covão d’Ametade situa-se no sopé do Cântaro Magro. É permitido o campismo mas são exigidos alguns cuidados na preservação da vegetação.

 

“A bruma subia cada vez mais deixando a descoberto os medonhos contrafortes do berço do Zêzere. Uma rotunda imensa, grave, misteriosa, de contornos imprevisíveis, começava a aparecer, como se as névoas do princípio do Mundo a abandonassem de vez. Iam-se desvendando enormes moles de granito, ao fundo, à direita, à esquerda, pedras de todos os milénios, bastiões de um só bloco e rude traça, que se apresentava soberba, numa majestosa solenidade. Essa muralha ciclópica e irregular, cheia de arestas, de vincos, crescia rapidamente, através do nevoeiro que se retirava. Cada vez se apresentava mais alta, mais arrogante cada vez – e assim tapada nos cimos dir-se-ia não ter fim.

[…]

O anfiteatro colossal em que eles se encontravam exibia-se agora, em toda a sua imponência. Era de uma grandiosidade áspera, severa, essa rotunda propícia para um templo de mitos alpestres. Estava metida entre assombrosas florações de granito e terminava no Cântaro Magro que lembrava a carcassa de imensurável castelo de outrora, do qual se aproximassem fulminantes coriscos.

Dir-se-ia que a natureza quisera defender e impregnar o mistério da nascente do Zêzere – fechando-a como uma fortaleza. E, contudo, parecia que o rio fora apenas um pretexto. Era uma pobre, trémula fila de água, ora muito estreita, ora mais larga, ás vezes quase invisível, que se lançava lá do alto por um sulco ou diáclase da rocha negra, aberta para lhe dar melhor caminho. Ao seu lado, porém, tudo se agigantava”.

Ferreira de Castro, em “A Lã e a Neve”

 

O Covão d’Ametade faz parte de um dos circos glaciários que alimentavam o Vale Glaciário do Zêzere, onde corre atualmente o rio que lhe dá nome, conjuntamente com o Covão Cimeiro, a montante e o Covão da Albergaria a jusante.

Corte - Circo Glaciário

Corte – Circo Glaciário

É um lugar privilegiado para campistas que procuram uma base para as suas caminhadas na descoberta do planalto superior, alguns dos trilhos de referência situam-se nas proximidades do parque.

Sem dúvida um ponto de referência da Serra.

Latitude: 40.3282057 | Longitude: -7.5881282

 

Covão da Ponte ou “A Castanheira” na Serra da Estrela

Quando era mais jovem costumava acampar com os meus amigos no Covão da Ponte na Serra da Estrela. Um lugar comumente conhecido como “A Castanheira”.

O Covão da Ponte, ou “A Castanheira”, é um dos sítios de excelência da Serra da Estrela. Plantado a 970m de altitude, ainda no Concelho de Manteigas mas no limite com o de Gouveia, é ponto de passagem do Rio Mondego na parte inicial do seu percurso. Dista cerca de 10 Km da Vila de Manteigas e da aldeia de Folgosinho e 30 Km do Planalto da Torre.

Um misto de beleza natural e humanizada, no Covão da Ponte encontra os espaços verdes que lhe permitem desfrutar de momentos relaxantes em contacto com a natureza e embalado pelos chocalhos dos rebanhos que por ali pastam.

As searas de centeio de altitude são mosaicos em tons de dourado e castanho e são o exemplo do ecossistema criado pelo Homem que fornece um habitat para diversas espécies cinegéticas.

Cumplicidade - Covão da Ponte

Cumplicidade – Covão da Ponte

É o local ideal para quem pretende passar um dia tranquilo em plena harmonia com a natureza. Aproveite para caminhar ao longo do Rio Mondego. Visite ali perto a Capela de Nossa Senhora do Carmo, os Casais de Folgosinho e a Capela de Nossa Senhora de Assedasse.

É um lugar muito especial. Cada vez que o visito sinto-me nostálgico. Recordo com uma amálgama de alegria e saudade os Verões que ali passei. O campismo selvagem… os banhos de água gelada… as tempestades… os amigos que me acompanharam… os amigos que já partiram… a agitação que era o fim-de-semana, com gente de todo o lado, carregada com a indispensável merenda… a pureza das pessoas que por lá perto habitam… histórias…

Covão da Ponte ou Castanheira na Serra da Estrela

Covão da Ponte ou Castanheira na Serra da Estrela

A aura deste lugar é confortante e revitalizante. Com uma beleza natural incrível é um quadro pintado com cores diferentes a cada estação do ano…

O Parque de Campismo do Covão da Ponte

Longe vão os tempos em que se praticava “Campismo Selvagem” neste local. Atualmente o Parque de Campismo do Covão da Ponte disponibiliza aos campistas todas as condições para que a sua estadia seja mais confortável e segura. O Parque está completamente integrado na natureza e procura preservar o espaço circundante e as suas características.

(Deve confirmar sempre se o parque de campismo se encontra a funcionar junto da entidade responsável)

Coordenadas

Latitude: 40.4426612 | Longitude: -7.5157164

 

Capela de Nossa Senhora do Carmo

A Capela de Nossa Senhora do Carmo foi inaugurada a 1 de Novembro de 1949 pelo Exmo. e Reverendo Senhor Cónego Manuel Mendes do Carmo, em representação do Exmo. Prelado. Nesta mesma Capela encontra-se, para além da Santa padroeira que deu o nome à Capela, a imagem de São Cristóvão, oferecida pelos caçadores de Gouveia e benzida pelo Cardeal de Lourenço Marques – Moçambique – D. Teodósio de Gouveia.