Oceanário de Lisboa

O Oceanário de Lisboa é um aquário público de referência em Lisboa, em Portugal e internacionalmente. O equipamento recebe anualmente cerca de 1 milhão de pessoas, que percorrem as suas exposições, tornando-o no equipamento cultural mais visitado de Portugal.

A excelência das exposições, aliadas ao simbolismo da arquitetura dos edifícios, faz do Oceanário um local único e inesquecível. O equipamento integra dois edifícios, o original dos Oceanos e o novo edifício do Mar, conetados por um enorme átrio decorado com um magnífico painel de 55 mil azulejos, que oferece acesso às exposições e à área educativa.

Assumindo a tendência evolutiva dos aquários modernos, o Oceanário desenvolve continuamente, atividades educativas que dão a conhecer os oceanos, os seus habitantes, a sua missão e que abordam os desafios ambientais da atualidade. Ainda neste contexto, o Oceanário colabora com várias instituições em projetos de investigação científica, de conservação da biodiversidade marinha e que promovam o desenvolvimento sustentável dos oceanos. A experiência técnico-científica da equipa de biólogos e de engenheiros assegura a excelência da exposição e presta consultoria a vários

Palácio Nacional de Mafra

D. João V jurou erguer o monumento caso obtivesse sucessão do seu casamento com a rainha D. Maria Ana de Áustria, o que acabou por se tornar realidade em 1711, ano do nascimento da princesa Maria Bárbara.

Projetada pelo alemão Johann Friedrich Ludwig, de escola italiana, a construção da obra central do reinado de D. João V iniciou-se a 17 de novembro de 1717 e por ela passou a mão-de-obra de 52 mil trabalhadores. A sagração da Basílica deu-se a 22 de outubro de 1730, embora as obras se tenham prolongado até meados de 1737, dando lugar a um imponente Palácio. Inicialmente esboçado como um Convento para apenas 13 frades, o monumento acabou por se tornar num imenso edifício com todas as dependências e pertences necessários à vida quotidiana tanto da corte como de 300 frades da Ordem de S. Francisco.

A vida de corte do Magnânimo em Mafra acabou, contudo, por ser reduzida. O rei adoeceu com gravidade em 1742 e viria a falecer em 1750, assistindo-se a uma série de diferentes vivências no monumento ao longo do período monárquico. D. Maria I abriu-o às celebrações religiosas. O seu sucessor, D. João VI, instalou a corte no Palácio-Convento entre 1806 e 1807 – ano em que partiu para o exílio no Brasil após as Invasões de Napoleão Bonaparte. Em dezembro de 1807, as tropas francesas ocuparam o Palácio, sendo alguns meses depois substituídas por uma pequena fração do exército inglês que aqui permaneceu até março de 1828. Após o conturbado período das Lutas Liberais, o Palácio de Mafra tornou-se lugar de escape e tranquilidade para as famílias reais, de D. Maria II a D. Manuel II. E foi mesmo no torreão sul que o último rei de Portugal passou a sua derradeira noite em solo pátrio, de 4 para 5 de outubro de 1910, antes de partir para o exílio, aquando da Instauração da República.

Ainda durante 1910, em plena emergência do novo regime, o Palácio-Convento é classificado como Monumento Nacional, num emblemático reconhecimento da sua importância histórico. É uma homenagem e distinção que valoriza todos os seus espaços conventuais mais significativos: o Campo Santo e a Enfermaria, para além da Sala Elíptica ou do Capítulo, a Sala dos Atos Literários (Exames), a Escadaria e o Refeitório, estes últimos hoje pertencentes à Escola das Armas.

Acrescentos posteriores vieram enriquecer o monumento com obras de arte e a criação de outras dependências, como foi o caso da notável biblioteca conventual. O Palácio Nacional de Mafra possui uma das mais importantes bibliotecas portuguesas, com um valioso acervo de aproximadamente 36 mil volumes. Um verdadeiro repositório de conhecimento e obras-primas.

Para além disso, os dois carrilhões com um total de 98 sinos constituem o maior conjunto sineiro do século XVIII, a que se juntam os seis magistrais órgãos instalados na Basílica, palco de sublimes e inspiradores concertos.

Volvo Ocean Race Lisboa 2017

Dia 5 de novembro de 2017 na Doca de Pedrouços em Lisboa

Volvo Ocean Race Lisboa 2017. No percurso de circum-navegação desta competição, Lisboa vai receber os melhores velejadores do mundo e as mais experientes tripulações internacionais.

A localização geográfica única da capital portuguesa, enquanto porta de comunicação entre a Europa e o Atlântico, a sua vocação marítima e as suas condições naturais para prática de desportos náuticos, foram alguns dos fatores diferenciadores de Lisboa que conquistaram a organização da Volvo Ocean Race.

Volvo Ocean Race Lisboa, 3ª edição

Lisboa recebe a Volvo Ocean Race Lisboa pela terceira edição consecutiva.

Este ano falamos numa etapa de 7.000 nm, a partir de Lisboa, com início a 5 de novembro, em direção à Cidade do Cabo, na ponta sul do poderoso continente africano.

É uma corrida clássica do norte ao sul do Atlântico, passando por várias zonas climáticas.

Volvo Ocean Race Lisboa 2017

Com início a 11 de outubro de 2017 em Alicante (Espanha), a regata de circum-navegação Volvo Ocean Race termina a 30 de junho de 2018 em Haia (Holanda), passando por Lisboa, Cidade do Cabo, Melbourne, Hong Kong, Guangzhou, Auckland, Itajaí, Newport, Cardiff e Gotemburgo.

Desde 2016 o Volvo Ocean Race Boatyard está albergado na cidade. Trata-se de uma instalação permanente onde nossa equipa de especialistas em construção de barcos trabalha a tempo inteiro para preparar a frota para a edição 2017-18.

Pode visitar as instalações do Boatyard no Race Village. É um olhar fascinante sobre todo o trabalho que dá colocar os barcos prontos para a corrida.

 

Hotel Lisboa

O Hotel Lisboa fica a 2 minutos do Marquês de Pombal e da Baixa de Lisboa, e a apenas 7 km do aeroporto, possui uma localização privilegiada que lhe permite explorar a cidade com toda a calma, do Chiado ao Bairro Alto e ao Castelo

Para quem se sentir tentado a ir às compras, não é preciso ir muito longe: a Avenida da Liberdade possui algumas das mais sofisticadas lojas de Lisboa.

Decorado num estilo cosmopolita e elegante, é um refúgio confortável e sofisticado.

Totalmente remodelado em 2008, o Hotel Lisboa oferece 60 quartos decorados com sobriedade e elegância, que convidam à tranquilidade.

O Hotel dispõe de 60 quartos, sendo 51 quartos standard, 6 quartos executivos e 3 panorâmicos, distribuídos por 7 Pisos, o Hotel Lisboa  oferece um leque variado de opções de alojamento. Desde a sobriedade e elegância discreta da decoração, até ao design das peças escolhidas, tudo foi pensado para criar um ambiente de conforto e tranquilidade.

Todos os quartos do Hotel dispoêm de : Internet wireless • Ar Condicionado • Cofre digital •  Mesa de trabalho • Televisão por cabo • Telefone / fax • WC  banheira e bidé • Secador de cabelo • Espelho de Corpo Inteiro •  Mini Bar.

O Hotel Lisboa está situado ao lado da Avenida da Liberdade e a 300 metros da Estação de Metro Avenida, que permite chegar à Praça do Rossio em 2 paragens. Além disso, este hotel totalmente para não fumadores disponibiliza excelentes opções de restauração. Está disponível acesso Wi-Fi gratuito.

Os quartos do Lisboa proporcionam um ambiente moderno e estão decorados com pisos de madeira e mobiliário contemporâneo. Incluem insonorização, uma sala de estar com sofá e televisão de ecrã plano com canais por cabo, assim como uma casa de banho privativa com uma banheira.

O Restaurante Gutsy proporciona uma variedade de hambúrgueres tradicionais saborosos. Muitos restaurantes locais também estão disponíveis, localizados ao virar da esquina da propriedade.

Restaurante do Hotel Lisboa

As atracções mais populares das proximidades incluem a Praça dos Restauradores e o Elevador de Santa Justa, ambos a cerca de 5 minutos a pé do Hotel Lisboa. Mediante pedido, pode ser providenciado um serviço de transporte de/para o Aeroporto da Portela.

Santo António é uma excelente escolha entre viajantes que estão interessados em visitar monumentos, conhecer pessoas amigáveis e arquitectura.

 

Isto é Lisboa …

A capital portuguesa está carregada de hábitos antigos e de uma história secular, que se cruzam com animação. Cidade com luz, hospitaleira e segura, Lisboa é uma das melhores opções europeias para fazer uma escapadinha!

“Lisboa cheira aos cafés do Rossio
E o fado cheira sempre a solidão
Cheira a castanha assada se está frio
Cheira a fruta madura quando é verão”.

Cheira a Lisboa – Amália Rodrigues

Lisboa

Capital de Portugal e cidade mais populosa de nosso país, é o centro económico, financeiro e político. Foi desde sempre o local de decisão, carregando em si a responsabilidade de representar a portugalidade, bem como irradiar ou expandir os turistas para os pontos mais longínquos do nosso país. É muitas vezes a partir de Lisboa, muito graças às vias de transportes já existentes, que os visitantes e turistas optam pelo meio de transporte para conhecer todas as maravilhas portuguesas.

Lisboa está carregada de história que advém da época do Neolítico, da era Romana, e da nossa época dourada, a dos Descobrimentos.

Monumento dos Descobrimentos

Monumento dos Descobrimentos

O que fazer em Lisboa?

Será impossível visitar tudo em pouco tempo, portanto, a melhor forma é delinear um roteiro com as suas preferências, nomeadamente, história, música, gastronomia, paisagens, e usufruir da melhor forma o que a cidade alfacinha tem para si.

Bruce Springsteen, Rock in Rio - Fonte: Sapo

Bruce Springsteen, Rock in Rio – Fonte: Sapo

Poderíamos elencar vários itinerários, no entanto, e com a proximidade do verão, falemos sobre a vertente cultural. Os festivais de verão são “um veículo” de turistas, quer internos quer externos (internacionais), e Lisboa é a cidade forte desses eventos. Rock In Rio, Super Bock Super Rock, Nos Alive, EDP Cool Jazz, são alguns dos festivais que levam até Lisboa muitas pessoas para se divertirem e para aproveitarem o que de melhor a capital possuí.

O tempo em Lisboa?

De clima mediterrânico, Lisboa por norma tem temperaturas amenas, onde o sol brilha na maioria dos dias do ano e onde a temperatura média do ano passado ficou-se pelos 17.4 ºC. Temos um bom clima, o que ajuda a selecionar mais facilmente Lisboa como um destino turístico. Contudo, os custos baixos, as excelentes condições de alojamento e alimentação são também fatores de eleição.

Torre de Belém - Lisboa

Torre de Belém – Lisboa

Turismo de Lisboa

Em 2016, Lisboa conseguiu ser a quinta cidade europeia com o crescimento mais rápido em número de visitantes internacionais, segundo o estudo “Global Destinations Cities Index“.

A restauração é outro setor em franco crescimento, tendo a autarquia local organizado este ano um evento de eleição dos melhores restaurantes. Assim sendo, o feeling não poderia deixar de fazer referência a estes locais. No entanto, e segundo o Observador, desde 2016, existem 35 novos e bons restaurantes em Lisboa que tem mesmo que experimentar!

Para que saiba que não o enganamos, Lisboa foi eleita uma das 25 cidades europeias para serem visitadas em 2017

Pontos de Interesse de Lisboa

Cidade das sete colinas, aqui poderá vislumbrar a cidade em cerca de 18 pontos distintos que certamente o deixarão encantado. Referimo-nos aos Miradouros do Castelo de São Jorge, mais abaixo o Miradouro de de Santa Luzia, ao de Santo Estevão ou aos mais conhecidos o Miradouro de Nossa Senhora do Monte ou o Arco da Rua Augusta. Existem muitos outros, por isso não perca a oportunidade de encher a memória com estas paisagens!

O Fado é indissociável de Lisboa. Nas ruas ouve-se, respira-se e sente-se o fado! O tom saudosista deste género musical caracteriza as vielas e as gentes lisboetas. Por tudo isto, um local de interesse será sempre uma casa de fados. Sentir toda a envolvente e este espírito é único! Para se sentir alfacinha terá que vivenciar e apreciar o fado.

MAAT- Fonte: Amanda Levete Architects

MAAT- Fonte: Amanda Levete Architects

Com a abertura do MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia ) a corrida aos museus lisboetas encontra-se mais viva que nunca. Mas fique a conhecer igualmente o famoso Museu dos Coches, o Museu Calouste Gulbenkian, o MUDE- Museu do Design e da Moda, entre outros. Se eventualmente quiser conhecer o MAAT, terá que se descolar para a zona de Belém, o que fará com que vislumbre os ex-libris do turismo lisboeta: o Monumento dos Descobrimentos, o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém. Tudo isto com o rio Tejo como pano de fundo.

Lisboa não é apenas cultura, posto isto não poderíamos deixar de elencar um ponto importante que é o desporto. Desta dita, a vida de Eusébio e a sua estátua (um dos maiores marcos da história desportiva portuguesa) são pontos de interesse de qualquer português ou de qualquer estrangeiro.

 

Kitchen Chiado – Lisbon Restaurant Bar

“Amor, Carinho e Paixão por tudo quanto fazemos são os principais ingredientes na confeção de todas as nossas receitas! Pretendemos avivar-lhe a memória numa viagem no tempo, trazer até si os sabores de casa e a comida de conforto, despertando-te os sentidos e tocar-lhe o coração!”