Os deliciosos e persistentes vinhos transmontanos

Os vinhos tintos desta região são geralmente frutados, já os vinhos brancos são suaves e com aroma floral.

A nordeste de Portugal, em Trás-os-Montes, numa zona montanhosa e de solos graníticos, o território vitivinícola encontra-se divido em três sub-regiões: Chaves, Valpaços e Planalto Mirandês.

Mapa do Planalto Transmontano
Mapa do Planalto Transmontano

A área de Trás‑os‑Montes está delimitada a norte do Rio Douro, de onde advém o vinho regional Transmontano.

Numa região conhecida pelos nove meses de inverno e três meses de inferno, onde o verão é muito quente e seco, aqui são plantadas castas de vinho tinto como Trincadeira, Bastardo, Marufo, Tinta Roriz, Touriga Nacional e Touriga Franca. As castas brancas de maior expressão na região são a Síria, Fernão Pires, Gouveio, Malvasia Fina, Rabigato e Viosinho. Os vinhos tintos desta região são geralmente frutados, já os vinhos brancos são suaves e com aroma floral.

Um dos néctares mais prestigiado da região é precisamente o espumante Vértice, espumante que concorre diretamente com o espumante Murganheira e Raposeira.

Após alguma leitura de opiniões, verificamos que são consensuais os comentários sobre o espumante, adjetivos como persistente e delicioso são alguns dos eleitos. A colheita de 2010 já recebeu vários prémios, nomeadamente em abril deste ano, onde auferiu 90 Pontos, atribuídos pela Robert Parker’s Wine Advocate.

Outro vinho transmontano muito conhecido é o “vinho dos mortos”, nome dado pelos moradores do norte de Portugal, da cidade de Botica, ao vinho enterrado. Uma iniciativa diferente que requer um ritual específico e incita a uma visita e a uma prova por parte de quem ainda o desconhece.

Para os mais interessados deixamos no FeelingPortugal o link da Comissão vitivinícola de Trás-os-Montes, com os produtores dos vinhos da região em destaque e com toda a história desta região peculiar.