Moura, terra soalheira e afável

Cidade solarenga e de gentes amistosas, Moura situa-se na zona raiana do Baixo Alentejo, fazendo fronteira com Espanha, com Mourão, Barrancos, Serpa, Vidigueira, Portel e Reguengos de Monsaraz.

É de salientar que o famoso Alqueva é outra das fronteiras desta terra tão acolhedora. Para além desta forte ligação com a barragem, a cidade possuí uma grande abundância de água. Moura tem inúmeras fontes, sendo também conhecida pelas suas termas e pela celebre Água do Castello.

História Mourense

Concelho com uma população residente de 15.167 habitantes, Moura revela em cada recanto uma história, e em cada local um motivo diferente para se deslumbrar. Mas a história desta terra advém de tempos longínquos, mais concretamente da pré-história. Na zona de Santo Aleixo são detetáveis vestígios que comprovam uma ocupação pré-histórica, sobretudo na Herdade da Negrita, onde se encontra um importante conjunto megalítico.

Moura- Foto da Câmara Municipal de Moura

Moura- Foto da Câmara Municipal de Moura

Já o Castelo assenta sobre um povoado da Idade do Ferro de comprovada importância política e económica, contemporâneo do Castro da Azougada, dos Ratinhos e do Álamo, onde em 1930 foi feito um importante achado de cinco peças em ouro, hoje depositado no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia.

O Castelo foi reconstruído no séc. XIV, numa época em que fora incrementada a ocupação do espaço extra-muros, com a expansão da Vila pelos arrabaldes.

Fonte: Câmara Municipal de Moura

A gastronomia e os produtos regionais

O Alentejo já é reconhecido pelo sua vasta diversidade e qualidade na área gastronómica, e Moura não é exceção. Com uma produção rica em azeite, vinho, mel, pão e bolos, as entidades do concelho estimulam a comercialização destes produtos endógenos através de certames e festas. Com aproximadamente 90 produtores e comerciantes destas iguarias facilmente poderá adquirir ou levar até à sua mesa alguma destas delícias.

Artesão e artesanato mourense (Fotografia do Município de Moura)

Artesão e artesanato mourense (Fotografia do Município de Moura)

Mas o artesanato é outro “hábito” das gentes mourenses. As cadeiras de buinho, o ferro forjado, os trabalhos em xisto, a cestaria e a latoaria são peças do património de Moura que não deve deixar de conhecer e até quem sabe adquirir.

Moura e os monumentos

Por entre ruas estreitas e casas pintadas de branco a cidade foi crescendo em volta de todo o património e de tudo o que a caracteriza.

O concelho tem dois monumentos nacionais, a Igreja de São João Batista, em Moura, e a Igreja Matriz de Santo Aleixo, para além de um apreciável conjunto de imóveis e conjuntos classificados (Quartéis, Igreja de São Pedro, Mouraria, Anta da Negrita).

O visitante pode ter a noção perfeita da história de cidade e do concelho num percurso pelo património e pela história local. Para além do património histórico e cultural merece a atenção dos visitantes as paisagens circundantes do concelho.

Festas e Romarias

Anualmente realizam-se em Moura, a Feira do Bovino Mertolengo, a Feira Empresarial, a Feira do Artesanato e, de dois em dois anos, a Olivomoura – Feira Nacional de Olivicultura.

Numa cidade que vive de forma intensa os seus costumes, as Festas da Padroeira, em honra de Nossa Senhora do Carmo (em julho), que trazem a Moura milhares de visitantes, e certamente também merecem a sua visita a esta terra tão afável!



Fonte do Artigo: Câmara Municipal de Moura