O Porto é um combinado de hospitalidade e de bairrismo, um encafuado de casas à beira rio, um misto de cores e luz, um encontro de gerações.

Considerado o melhor destino europeu do ano 2014, a cidade nortenha é calorosa, afável e uma cidade muito fácil de se conhecer e de alguém se orientar.

Depois de toda a modernização da cidade e investimento no turismo, o Porto é um destino cada vez mais apetecível.

 

porto-barco-rabelo

Rio Douro – Barco Rabelo

 

Para conhecer o Porto, precisa no mínimo de três dias, e poderá começar pela Avenida dos Aliados, onde irá apreciar a monumentalidade dos edifícios envolventes. Estará próximo da Câmara do Porto, do Teatro Rivoli e do Teatro Sá da Bandeira, bem como da Estação de São Bento (considerada pela revista norte-americana “Travel+Leisure”, uma das 16 estações mais belas do mundo).

Exterior da Estação de São Bento, no Porto

Exterior da Estação de São Bento, no Porto – Peter

Depois aproveite para fazer umas compras na Rua Santa Catarina, rua emblemática do Porto, e visite a bonita Igreja de Santo Ildefonso. O mercado do Bolhão como fica próximo, dá-lhe a oportunidade de conhecer um local muito típico e característico do Porto, e fazer com que se entranhe nos costumes e gentes da invicta. Desfrutado o passeio, e certamente já com fome, vai subir a rua em direção à Torre dos Clérigos e vasculhar as ruas transversais, onde irá encontrar variadíssimos bares, cafés e restaurantes. Recomendo a Taberna Galeria de Paris, muito agradável, boa comida e de muito bom gosto.

No segundo dia, aconselho-o a conhecer a zona da Rotunda da Boavista, ir até à Casa da Música, uma casa de artes, com um design incomparável e contemporâneo. Ande mais um pouco e avistará o mercado do Bom Sucesso. No mesmo dia pode aproveitar e descer um pouco até à Foz, passear pelo esplendoroso Rio Douro, conhecer o Museu do Carro Elétrico, ou então ir até ao Museu do Vinho do Porto…

Inevitavelmente vai passar pela tão afamada Ribeira, aproveite, descanse, beba um café numa das esplanadas (são todas agradáveis) e contemple a vista esplendorosa que o rio oferece.

Não se esqueça de fazer a pé a Ponte Luis I e ir até Gaia, que é do outro lado do rio. Se já forem horas de jantar, não perca a oportunidade de degustar as iguarias do Restaurante “Bacalhoeiro”, um restaurante pequeno e requintado, com vista privilegiada para o Porto.

Porto: Ponte Dom Luis I

Porto: Ponte Dom Luis I

Nesta sua passagem pela Invicta, não pode deixar visitar a Fundação Serralves, o Palácio da Bolsa, a Sé do Porto, o Palácio de Cristal, o Majestic Café (único e magestoso) e ainda o Hard Club.

No que toca ao alojamento, estamos a falar de uma cidade já com alguma dimensão, por isso não irão faltar locais onde dormir e descansar. No entanto, sugiro o HF Ipanema Park ou o Hotel Fénix. O Porto está na vanguarda dos Hostels, por isso aproveite para conhecer alguns deles, que são bastante modernos e cheios de jovialidade.

No terceiro e último dia vá até à zona ribeirinha e faça o trajeto inverso ao do dia interior, conheça a zona nobre do Porto, que o irá maravilhar com a praia que banha aquela área. Conheça o Castelo do Queijo (Matosinhos) e toda a área envolvente, ao qual se junta o Parque da Cidade do Porto. No final do dia vá ao Capa Negra e delicie-se com uma bela francesinha.

No mês de março o jornal inglês Guardian escolheu o Porto como uma das cidades para a sua lista de Top 10 das escapadinhas alternativas na Europa, por isso não perca a oportunidade e conheça esta cidade cheia de história e de costumes!