Cake Pops de Chocolate

Óbidos dá-lhe música e muito chocolate

A música

De sexta-feira, dia 10 de março, e até dia 2 de abril, a vila de Óbidos abre portas à 15ª edição da feira do chocolate, o certame mais doce de sempre!

Vila de Óbidos no Festival Internacional do Chocolate

Vila de Óbidos no Festival

Óbidos tem o festival do chocolate mais prestigiado no nosso país, e este ano alia a doçura desta iguaria com a universalidade da música. A 15ª  edição contará com esculturas sobre conhecidos nomes da música como Michael Jackson, Tina Turner, James Brown, Madonna, Bob Dylan, Carmen Miranda e a “nossa” Amália. Estas esculturas esculpidas por uma equipa de chocolatiers, liderados pelo Chef Chocolatier Abner Ivan, campeão da Coupe du Monde de la Pâtisserie 2015, que decorreu no Brasil.

Olaria em Chocolate

Imperdível é presenciar ao atelier de Rita Frutuoso, ceramista de profissão, onde a própria irá moldar o chocolate, trabalhando e transformando o produto em diferentes peças.

Mas animação este ano será mais focada na música, que é o tema do festival. Um desses exemplos é a atuação dos Duo Choco Latas, composto pelos artistas David Cruz e Cláudia Santos. “Com um carrinho cheio de percussões composto essencialmente por latas e outros objetos reciclados, estes multiinstrumentistas interpretam num tom essencialmente acústico um conjunto de canções cómicas cujo tema é o Chocolate.”

O Programa

O programa é muito variado havendo este ano uma chocodisco, para a família poder divertir-se enquanto bebe um chocolate quente ou um batido. Workshops de bombons, family cooking, atividades de construção de pizzas de chocolate, galerias e muitas esplanadas para se descansar e aproveitar o chocolate e a música que andarão sempre de mãos dadas por Óbidos.

O ingresso para o festival pode ser adquirido online ou comprá-lo no dia em que se deslocar a Óbidos, poderá é ter que aguardar algum tempo nas filas! Os preços variam entre os 3 e os 6 euros, e o horário do evento é das 11 horas às 20 horas.

Monção: Terra da “Coca”, da “Foda” e do Vinho

Monção situa-se na ponta mais a noroeste de Portugal, fazendo fronteira com Espanha e Valença. Apoiada entre o fértil vale do rio Minho e alguns declives montanhosos, aqui é propícia a prática de agricultura e viticultura, mas ideais também para a prática da pastorícia.

Festival do Cordeiro de Monção

Contudo, os temas escolhidos foram as festas e romarias monçanenses. Conhecido como “Foda à Monção”, nome muito apelativo, referimo-nos ao festival gastronómico do cordeiro. Normalmente realizado no mês de outubro, este certame tem como finalidade a manutenção da qualidade e a garantia da genuinidade deste prato com história e tradição no concelho de Monção.

Festival do Cordeiro de Monção

Festival do Cordeiro de Monção – Minho Digital

O nome artístico advém de expressões minhotas que eram proferidas no ato da compra dos animais, que por estarem bem alimentados (gordos), as gentes de Monção exclamavam: que foda!

“O termo tanto se vulgarizou que o prato passou a designar-se, localmente, por foda. De tal modo que é frequente, pelas alturas festivas (Páscoa, Corpo de Deus, Senhora das Dores e Natal ou Fim de Ano) ouvir as mulheres: Ó Maria, já meteste a foda?”

Corpo de Deus – Festa da Coca

Outro nome muito caricato é a Coca, uma expressão monçanense para a tradição religiosa ocorrida pela altura do Corpo de Deus (festa religiosa celebrada todos os anos na quinta-feira depois da Oitava do Pentecostes uma festa em honra do mistério da eucaristia, denominada Corpus Christi).

Segundo a tradição: “após o percurso pelos lugares do costume, a procissão recolhe à Igreja Matriz e o povo desloca-se em massa para o anfiteatro do Souto, onde terá lugar o torneio entre as forças do bem e do mal (da virtude e do pecado). O povo dispõe-se em redondel enquanto o cavaleiro S. Jorge, representando o bem, e a horrenda figura de um dragão conhecido por Coca, representando o mal, tomam posições”.

São Jorge em Luta com o Dragão (Coca)

São Jorge em Luta com o Dragão (Coca)

Basicamente, falamos-lhe de uma festa com base na história de São Jorge e o dragão, que lutam pelo bem e pelo mal, respetivamente. A analogia ao dragão é feita com a construção de um animal em tela, sobre uma armação de madeira e com rodas disfarçadas sob as patas pintadas como garras de unhas aguçadas, é exteriormente empurrado por 4 a 6 homens.

E porquê o nome Coca?

“Pode tal festa ser identificada com o nome de Coca por ser entre o bem e o mal e, no Minho, é vulgar ouvir-se a palavra Coca como sinónimo de raiva ou ódio. Festa da Coca seria assim a festa da raiva à maldade”.

Vinho Alvarinho

Berço do vinho Alvarinho, Monção é a capital de um dos melhores vinhos verdes portugueses, juntamente com Melgaço.

 

Prova de Vinho Alvarinho - Monção

Prova de Vinho Alvarinho

Com uma rota já delineada, um museu, uma feira e uma Real Confraria do vinho Alvarinho, Monção tem mais um motivo para ser visitada e aproveitada da melhor maneira. E uma das formas para o fazer é o Palácio da Brejoeira. O edifício classificado de Património Nacional desde 1910, é uma grandiosa construção e insere-se em 30 hectares que incluem ainda capela, bosque, jardins, vinhas e adega.

EXPOFACIC, “The Cranberries” são cabeça de cartaz

Feira Agrícola Comercial e Industrial de Cantanhede

A EXPOFACIC-  Feira Agrícola Comercial e Industrial de Cantanhede conta com a sua vigésima sétima edição, e a cerca de pouco mais de 150 dias para o início do certame agrícola, a grande notícia está numa atuação musical.

The Cranberries

“The Cranberries” são cabeça de cartaz da Expofacic. A banda irlandesa sobe ao palco do certame a 3 de agosto, a terminar a agenda de uma tournée que inclui atuações em várias capitais europeias. Em Portugal, os Cranberries têm uma imensa legião de seguidores.

Entre os dias 27 de julho e 6 de agosto, são vários os artistas que animarão Cantanhede, tais como, Richie Campbell, Dengaz, Kura, Mariza, D.A.M.A, Cuca Roseta, Aurea e Agir.

No que toca à feira, aqui encontrará onze setores distintos. O certame mostra-lhe a área comercial, agrícola, automóvel, institucional, a educacional, gastronómica, infanto-juvenil, uma feira popular, os palcos para os concertos, um picadeiro e uma área restrita para demonstrar os municípios de norte a sul do país.

A organização da feira do ano posterior começa no mesmo dia em que termina a desse ano, e uma das primeiras ações é a da promoção, que este ano aconteceu na FITUR (Feira Internacional de Turismo de Madrid). A presença na capital espanhola teve como objetivo intensificar a internacionalização do certame.

Mais um motivo para que a 27ª edição da EXPOFACIC seja um sucesso, e que leve o nome de Cantanhede, e de Portugal além fronteiras.

Deixamos aqui a planta do recinto e as hiperligações das páginas relativas à feira :

Planta do recinto da EXPOFACIC

Planta do recinto da EXPOFACIC

Site oficial- http://www.expofacic.pt

Um passeio revigorante às Amendoeiras em Flor

Há alguns anos, em muitas regiões portuguesas, seria certo que por esta altura alguém iria programar uma excursão ao interior do nosso país, mais concretamente às amendoeiras em flor.

As expedições foram perdendo fulgor, mas com o desenvolvimento que a região das amendoeiras em flor tem sofrido nos últimos anos, levou a que as instituições de desenvolvimento regionais e nacionais a fortalecessem com atividades muito específicas.

Para quem desconhece, as amendoeiras têm predominância nos montes e vales do nordeste transmontano e no Douro superior. Todos os anos por esta altura, por volta da segunda metade do mês de fevereiro e por todo o mês de março, o acastanhado dos montes pinta-se de branco e rosa, como quem “chama” a primavera.

Vários são os municípios que por esta altura vivem um crescimento na economia local. Esse crescimento advêm não só da beleza natural, bem como, das festas da amendoeira em flor que animam os concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Mogadouro, Vila Nova de Foz Côa, Vila Flor, Freixo de Espada à Cinta e Torre de Moncorvo.

Flor da amendoeira

Como conhecer a região

Agora, para conhecer esta admirável região poderá utilizar as excursões, viatura própria ou através dos CP- Comboios de Portugal:

Carro: para nós esta é a melhor forma de apreciar esta maravilha da natureza, conhecer melhor os locais e desfrutar de um dia em plena natureza. Utilizar o carro para percorrer à vontade esta zona do nordeste transmontano e no Douro superior é a forma mais simples e facilitada.

Comboio: se optar por visitar de comboio, saiba que os passeios normalmente realizam-se aos sábados do mês de março. É uma viagem que atravessa uma vasta região do Douro, até ao Pocinho (Vila Nova de Foz Côa). Comboios especiais no percurso Porto Campanhã – Pocinho e volta, com três circuitos rodoviários à escolha. Veja aqui os programas.

Para os mais aventureiros, cada um dos municípios abaixo referidos disponibilizam atividades distintas para que possam vasculhar cada recanto das amendoeiras em flor:

Vila Nova de Foz Côa

Figueira de Castelo Rodrigo

Mogadouro

Freixo de Espada à Cinta

Lamego com história… Venha descobri-la!

Datada do tempo dos romanos, foi em Lamego que terão decorrido as lendárias Cortes de Lamego, onde terá sido feita a aclamação de D. Afonso Henriques como Rei de Portugal e se estabeleceram as linhas orientadoras de “Sucessão ao Trono”.

Localizado na margem sul do rio Douro, é considerada uma cidade histórica e monumental, pois possui uma grande quantidade de monumentos, igrejas e casas brasonadas, sendo também uma diocese portuguesa.

Religião

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego

Lamego é sede da diocese homónima, a única diocese portuguesa que não corresponde a uma capital de distrito. Por aqui os monumentos religiosos são inúmeros, dos quais se destacam a Sé Catedral, a Igreja de São Pedro de Balsemão e o Santuário da Nossa Senhora dos Remédios. Este último é o mais reconhecido pelos portugueses em geral, isto porque existe uma romaria anual com o mesmo nome.

Gastronomia e produtos regionais de Lamego

Conhecida também pela sua gastronomia, por aqui poderá degustar os deliciosos presuntos ou o cabrito assado. Mas a mais famosa é a bôla de Lamego, tradicionalmente confecionada na “Pastelaria da Sé”, casa emblemática na produção das Bôlas de Lamego. Esta casa emblemática encontra-se em fase de expansão, tendo sido inaugurada há pouco tempo na Avenida da Boavista, na cidade do Porto, mais uma Casa das Bôlas.

Douro

Passeios no Rio Douro

Passeios no Rio Douro

A produção de vinhos, nomeadamente do vinho do Porto e de espumantes é outra das relíquias lamecenses. Com a proximidade com o Rio Douro, e com o exponencial crescimento do turismo nesta região, Lamego tem vindo a ganhar cada vez mais notoriedade no panorama turístico português. No entanto, essa notoriedade também advém de bons produtos e boas “casas”, como é o caso da Quinta da Pacheca. Famosa pela comercialização de vinhos (Pacheca), esta quinta é ainda conhecida pelo seu hotel, pelas visitas guiadas às provas e cursos de vinhos, bem como pelo restaurante.

Feira Medieval

Feira Medieval - Foto da Câmara Municipal de Lamego

Feira Medieval – Foto da Câmara Municipal de Lamego

Outra iniciativa promovida nos últimos anos é a Feira Medieval. Com um número de visitantes já considerável e de participantes também bastante aliciante, a atividade festiva atrai mais movimento a esta cidade e é um chamariz cada vez mais importante. Com arruadas musicais, torneios de armas, mercado medieval e cortejos alegóricos a animação será sempre o mote deste evento.

Já sabe onde vai festejar a passagem de ano 2016-2017?

Em Braga o ano passa-se na Avenida Central

Este ano, Braga volta a fazer a Passagem de Ano nas ruas, numa festa intensa onde não vai faltar a música e o fogo de artifício.

A partir das 22h00, no palco instalado na Avenida Central, haverá um grande concerto de Tito Paris e animação até às 04h00 com Karetus e vários Dj’s locais.

Blind Zero e Os Azeitonas na Passagem de Ano do Porto

Este ano, além dos Aliados, a Câmara do Porto preparou mais três palcos alternativos na Baixa, respetivamente na Praça de D. João I, Praça dos Poveiros e Praça dos Leões.
As boas vindas ao novo ano na principal sala de visitas da cidade, que é também um dos maiores palcos ao ar livre do país, vão ser dadas pelos Blind Zero e pelos Os Azeitonas. Pelo meio, há ainda o tradicional fogo de artifício ainda com mais surpresas este ano.
  • Avenida dos Aliados: 22h30-23h50 – Blind Zero |23h55 – Countdown | 00h00-00h15 –  Espetáculo piromusical | 00h30-02h30 – Os Azeitonas
  • Praça de D. João I: 22h30-01h00 – DJ Rodrigo Affreixo | 01h00-03h00 – DJ Set Holy Nothing
  • Praça dos Poveiros: 22h30-01h00 – DJ Isidro Lisboa | 01h00-03h00 – DJ Set Throes + The Shine
  • Praça dos Leões: 22h30-03h00 – DJ Sete Magníficos

GNR e CLUB BANDITZ garantem fim de ano imperdível em Coimbra

Coimbra vai celebrar a entrada no ano de 2017 ao som dos GNR e dos djs Club Banditz. Mas há muito mais. A animação estende-se a toda a Baixa da cidade, provando que Coimbra volta a ser a melhor opção para a celebração da passagem de ano. O concerto dos GNR é o ponto alto do programa de animação proposto pela Câmara Municipal de Coimbra (CMC) “Luzes Sobre a Baixa de Coimbra – Natal e Fim de Ano 2016”, que irá animar a cidade de 26 de novembro a 7 de janeiro e que conta com um vasto leque de iniciativas, ao longo de sete semanas e que fazem deste um cartaz imperdível.

  • Baixa de Coimbra: 21h30/04h00
  • Portagem: 22h00-23h30 – Kiss Kiss Bang Bang | Dance Music | 23h30-01h00 – GNR | 01h00-03h00 – Kiss Kiss Bang Bang |Dance MusicPraça do Comércio: 23h30-01h00 – Club Banditz | House Music | 1h00-03h00 – Dynamic Duo | Dancehall
  • Praça 8 de Maio: 00h00-04h00 – Revival Music | 70’s, 80’s, 90’s
  • Terreiro da Erva: 21h30-23h45 – Rockluso| Música portuguesa
  • Rio Mondego:  24h00 – Fogo de artifício

Na Figueira da Foz a Passagem de Ano começa no dia 30 de dezembro

Aproveitando o fim de semana, a festa começa logo no dia 30 de dezembro, com o concerto dos THE GIFT, que celebram com figueirenses e visitantes o fim da sua tournée. O espetáculo começa  às 22h30, na Praça do Forte e é apenas a primeira surpresa que o Município da Figueira da Foz preparou para estas comemorações.

No dia 31 de dezembro o primeiro a subir ao palco é o rapper português Dillaz, por volta das 23h00. Às 00h00 o céu vai iluminar-se e a cidade vai cobrir-se de luz, com o sempre aguardado espetáculo piromusical. O Ano Novo será recebido em festa, com os brindes e as 12 passas a simbolizarem os 12 maiores sonhos para 2017. Às 00h30 sobe ao palco um artista a que ninguém vai conseguir «Dizer que Não»: DENGAZ. Às 2h00 sobe ao palco o DJ Nelson Cunha, preparado para levar ao rubro o público que quer aproveitar a música, a energia e a animação próprias desta noite.

No dia 1 de janeiro por volta das 16h00 volta a realizar-se a caminha de Ano Novo – Sunset. Figueirenses e visitantes estão novamente convidados a iniciar o novo ano com uma boa caminhada na magnífica Serra da Boa Viagem.

A mais Alta Passagem de Ano do país é na Guarda

A Câmara Municipal da Guarda quer que a entrada em 2017 seja inesquecível e feita a partir do coração da “cidade mais alta” e por isso, no dia 31 de dezembro todos os caminhos vão dar à Praça Velha [Praça Luís de Camões].

As festividades marcadas para o centro histórico da Guarda prometem a maior das Passagens de ano da região com um fantástico espetáculo de Videomapping, com o concerto de uma das melhoras bandas Pop nacionais da atualidade, os Amor Electro e ainda com a atuação do DJ Nuno Luz, pela madrugada dentro.

Em Lisboa é no Terreiro do Paço

A 31 de dezembro, Lisboa veste-se para receber e celebrar o Ano Novo. Milhares de pessoas enchem as principais ruas da cidade e praças públicas para comemorar entre os amigos do Ano Novo.

 Passagem de Ano 2016-2017 no Terreiro do Paço
O Terreiro do Paço será o salão de festas nas celebrações de Ano Novo da cidade com muita diversão para marcar a passagem para o Ano Novo. Lisboa começou a contagem decrescente para a sua grande noite de Ano Novo. Para assinalar a entrada do novo ano, os céus de Lisboa iluminar-se-ão com um fabuloso espetáculo de fogos de artifício e entretenimento musical.
Uma passagem de ano na maior “sala de estar” de Lisboa, Terreiro do Paço, com uma fabulosa vista sobre o Rio Tejo e a melhor música portuguesa.
  • Dia 30: 21h30 – Miguel Araújo 23h15 – D’js Wilson Honrado / João Vaz •
  • Dia 31: 22h00 – Rui Veloso 00:00 – Mostra de fogos de artifício 00h15 – AGIR
  • Dia 1: 17h30 – Raquel Tavares (Fado) + Orquestra Roemer Pinatel

Em Évora o Fim de Ano volta à praça do Giraldo

Após alguns anos de interregno, a cidade volta a realizar festa de passagem de ano na Praça do Giraldo. A noite de dia 31 começa a ser animada, às 22h30, com um concerto dos PEÑA KALIMOTXO, um grupo oriundo de Lavre. Depois do sempre aguardado fogo de artifício, à meia-noite, a entrada em 2017 é celebrada com a música de DJ Sunlize.​

Em Portimão há música brasileira

A despedida do ano velho e a saudação ao novo ano vai ser assinalada em Portimão pelo tradicional fogo de artifício, que dará as boas vindas a 2017. Quando soarem as badaladas da meia-noite, os céus serão iluminados a partir da Praia da Rocha, na Zona Ribeirinha de Portimão e na Zona Ribeirinha de Alvor pelo habitual fogo de artifício, numa organização da ATP – Associação Turismo de Portimão, em colaboração com a Câmara Municipal de Portimão e as Juntas de Freguesia de Portimão e Alvor.

A festa de despedida a 2016 começa às 23h00 junto à Antiga Lota, na Zona Ribeirinha de Portimão, ao som do grupo de música brasileira “Pau D’Arara”, que animará esta zona até aproximadamente às 2h00.

Na Madeira o fogo de artificio é rei

O espetáculo de fogo de artifício tem uma duração de cerca de oito minutos e está distribuído por diversos postos de queima de fogo localizados no anfiteatro do Funchal, na orla marítima e baixa citadina, no mar e um posto na Ilha do Porto Santo.

Este espetáculo grandioso que é um dos mais importantes cartazes turísticos da Madeira, foi reconhecido internacionalmente, pelo Livro de Recordes do Guiness no ano de 2006, como “O maior espetáculo de fogo de artifício do Mundo”.

Nos Açores festeja-se um pouco por todo lado

A Passagem de Ano celebra-se por todas as ilhas do Arquipélago com concertos musicais, jantares comemorativos, baile de gala e as pessoas reúnem-se nos centros das freguesias e cidades para assistir ao fogo de artifício e dar as boas vindas a um Novo Ano.

Santoínho, um verdadeiro arraial minhoto

O Minho é uma região muito rica em vivências e cultura. Repleta de costumes, esta zona não o deixará indiferente. Mas para conhecer um pouco das tradições minhotas e de forma rápida não existe melhor local que o Santoínho.

Muito próximo da capital de distrito, a Quinta situa-se precisamente a 5KM de Viana do Castelo, na margem esquerda do rio Lima, próxima da vila de Darque. Quer venha de norte ou de sul o melhor caminho é mesmo a autoestrada A28.

quinta_do_santoinho_1

Santoínho (Câmara Municipal de Viana do Castelo)

No entanto, para desfrutar deste verdadeiro arraial existem épocas específicas, que habitualmente começam no final do mês de maio. Os preços de entrada na quinta não costumam oscilar muito, alterando-se entre os 16 e 20 euros por pessoa.

Aqui encontrará para além da diversão, tradições gastronómicas, populares, culturais e etnográficas minhotas. Para conhecer esta realidade e segundo as informações fornecidas pela própria entidade no site, nos mais de 40 anos de existência, a quinta recebeu mais de quatro milhões de pessoas de todos o mundo, em 2000 arraiais. Só para ter noção da envergadura do arraial, são consumidos em cada arraial (em um dia) 12 mil sardinhas, mil frangos, fêveras de 40 porcos, 600 KG de broa e 2500 litros de vinho branco e tinto! É realmente muita coisa…

Pixabay

Pixabay

O Santoínho abre portas normalmente aos sábados, mas no mês de agosto também há arraiais às terças e quintas-feiras.

A diversão é complementada com a tradicional música portuguesa. Estamos a falar da música popular que todos nós conhecemos e que frequentemente nos obriga a um pezinho de dança. A animação é o mote desta quinta e quem não dança e não come mais vale ficar por casa!

Quando se decidir a ir até à quinta, irá deparar-se com uma verdadeira loucura minhota com espaços ao ar livre, cobertos, com lugares de estacionamento e muito mais! Depois de conhecer o Santoínho certamente que vai querer “montar” arraiais.

 

Óbidos está mais doce até 25 de Abril

O  festival internacional de chocolate, em Óbidos, abriu portas no passado dia 31 de março e já conta com a sua 14º edição. O festival encerra de segunda a quinta-feira, e abre portas ao público às sextas, sábados e domingos, inclusive no feriado dia 25 de abril, que é o último dia do festival.

A doçura é o mote na vila, no entanto, as esculturas de chocolate são sem dúvida a grande atração. Das maiores às mais pequenas, das mais coloridas às de tom chocolate o que não irão faltar são as obras de muitos cozinheiros, os concursos e os muitos visitantes esperados.

A festa tem ainda programado música, teatro, exposições, lançamento de livros e animação por todo o espaço. Este ano o cacau do Brasil é o grande destacado, havendo um regresso às origens da fusão de cacau, com sabores refrescantes inspirados na água.

Mas desengane-se quem pensa que a feira é apenas para miúdos… Os graúdos poderão experimentar os ateliers e lambuzarem-se com muito chocolate à mistura, aprendendo a fazer receitas práticas e divertidas para todos.

Festival Internacional de Chocolate 2016

Festival Internacional de Chocolate 2016

Mas quem pretender prolongar a visita por mais de um dia poderá sempre provar as ementas especiais criadas por restaurantes locais, ou ir em busca de outras atividades dentro e fora das muralhas. Aproveitamos para lhe dar a conhecer o programa completo do certame e fazer com que estenda a sua doce estada. É sem dúvida a festa portuguesa que mais lhe cria água na boca!

Mariana Sousa

Sebastianas: “Um Amor Maior”

As Sebastianas são as festas populares da cidade de Freamunde, no distrito do Porto, celebradas em honra do Mártir São Sebastião. É uma festa anual que decorre sempre no segundo fim de semana de julho.

As festas têm cada vez mais importância e dimensão, e contam já com mais de 110 anos de história. Nos últimos anos têm vindo a obter uma maior participação do público, sendo uma atração turística com mais de 120 mil visitantes.

Para quem é da “Terra” as Sebastianas são muito mais do que festas, é o elevar do orgulho Freamundense, é o enaltecer de uma cidade bairrista. Todo o enredo, toda a organização é diferente de qualquer outra festa. Em primeiro cabe a organização da mesma a um grupo de homens que vivam na “terra”. A comissão de festas, que organiza, é nomeada sempre pela anterior, sendo o nome dos festeiros anunciados na missa de festa de domingo.

tapete procissao

As Sebastianas têm um vasto leque de atividades, desde os concertos de música, aos bombos, a marcha alegórica, as celebrações religiosas e fogo de artifício, sem esquecer a tradicional “Vaca de fogo”.

Tem uma noite de bombos, arruada livre com bombos tocados pelos locais e visitantes (sexta feira), e ainda uma concentração de grupos de bombos e desfile integrados na Marcha alegórica de segunda-feira. A marcha, que anteriormente era chamada de “Marcha Luminosa”, possui carros alegóricos, escolas de samba, animações e grupos de bombos. Os carros alegóricos são totalmente feitos em Freamunde, e por Freamundenses, mais propriamente por grupos de voluntários e amigos das festas.

O conceito Sagrado desta festa consiste na missa e na Procissão em honra de São Sebastião que decorre sempre ao domingo. Outra particularidade das Sebastianas é o tapete da procissão, muito típico, em fitas de madeira (aproveitadas das empresas de mobiliário da região) que são pintadas de várias cores, e resultam num extenso tapete, com vários motivos religiosos, espalhado por toda a cidade.

Mariana Sousa

No que toca ao fogo de artifício, tudo é rigorosamente planeado e executado por empresas de pirotecnia. Uma das tradições mais apreciadas, tendo inclusive nascido o conceito pirotécnico de “final à Freamunde”. Para terminar cada noite, como é tradição, a “Vaca de fogo” encerra cada dia de festa (todos os dias). A “Vaca de fogo” não é nada mais, nada menos do que uma estrutura de ferro, com o formato de uma vaca, que é carregada por alguém, e que vais atirando pirotécnica por onde passa.

Mariana Sousa

Nestes dias Tudo pára…Freamunde pára… O trânsito pára… Todos os caminhos vão dar a Freamunde, só as Sebastianas importam! O impacto destas festas já é tão grande e está de tal forma em ascensão, que toda a REGIÃO conhece e não quer perder um único dia destas festas.

AS SEBASTIANAS SÃO O VERDADEIRO AMOR DE QUEM LÁ VIVE… Tudo é feito com amor, tudo é feito a pensar na TERRA NATAL, tudo é feito em prol de FREAMUNDE.

É sem dúvida UM AMOR MAIOR…

Aproveito para lhe deixar ainda o site das Sebastianas para que possa ver o programa deste ano e ainda o Twitter e a página do Facebook das festas para que receba todas as atualizações.

cabecudos-viana-do-castelo

Carnaval, Portugal e o Tradicional

A origem do carnaval está relacionada com a união das palavras latinas “carnis” (carne) e “valles” (prazeres). Mas como todos nós também sabemos, o carnaval é a festividade que antecede a primeira festa religiosa de cada ano, a Páscoa.

A luta entre o Carnaval e a Quaresma. Pieter Bruegel o Velho. 1559

A luta entre o Carnaval e a Quaresma. Pieter Bruegel o Velho. 1559

O evento carnavalesco nasceu da Igreja Católica, no século XI. Desde aí, quarenta dias antes da Semana Santa, e antes de se proceder ao período de privação, conhecido como jejum pascal, o “entrudo” leva à mesa dos portugueses as carnes gordas e a folia. A gastronomia é rica e “gorda”, devido aos enchidos e carnes gordas, que preenchem o cozido à portuguesa, a feijoada à transmontana ou o sarrabulho (guisado com os miúdos do porco, ou cabrito, misturado com sangue e temperado com cominhos).

Mas o carnaval como hoje conhecemos surgiu apenas na época do Renascimento, altura em que começaram os bailes de máscaras e as fantasias.

O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, mais famosos em Portugal são os da Mealhada, Torres Vedras, Loulé, Ovar, Madeira, e Sines. Mas mesmo que a iniciativa tenha o senão de se dar em pleno inverno, o frio não demove os foliões, nem a vontade de satirizarem social e politicamente, como já é costume nos corsos carnavalescos dos portugueses.

Vamos rapidamente enumerar as vantagens em escolher um evento em detrimento de outro:

Por exemplo, na Madeira não faltará um desfile majestoso, bastante abrilhantado, acompanhado do típico fogo de artifício.

Em Torres Vedras, as matrafonas (homens vestidos de mulheres) são o mote, bem como a sátira politica.

Na Mealhada, numa versão mais brasileira, poderá assistir ao Corso Luso – Brasileiro e no último dia ao desfile trapalhão.

cabecudos-viana-do-castelo

Por Rosino – Flickr: [1], CC BY-SA 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=18357171

O famoso cortejo com sátira política e social em Loulé conta com 15 carros alegóricos, escolas de samba, gigantones e cabeçudos, por isso aproveite e dê uma fugida até ao Algarve.

Se preferir o norte, em Ovar, o Carnaval já arrancou (no dia 16 de janeiro), prolongando-se até 9 de fevereiro, mas com uma programação diferenciadora, arrojada e para vários públicos.

Em Sines, os foliões contam com três dias de corso, mas é na segunda-feira, que tem o seu ponto alto, com o desfile noturno e com os seus carros alegóricos iluminados.

Nestes dias de carnaval, para além dos grupos organizados, inúmeros foliões anónimos participam livremente nos desfiles e na festa.

carnaval-de-podence-2008

By Rosino ([1]) [CC BY-SA 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)], via Wikimedia Commons

Mas não podíamos falar de carnaval sem mencionar os Caretos, personagens típicos de algumas aldeias de Trás-os-Montes. Um careto é um homem disfarçado, que anda pelas ruas das aldeias transmontanas, com uma máscara que serve para meter medo, em especial as meninas solteiras. Por norma, as meninas ficam em casa a vê-los pela janela, o que leva a que eles trepem pelas varandas, para ir ter com elas e fazer muito barulho com os chocalhos que usam pendurados na cintura e guizos nos tornozelos.