A magia do Porto em 36 horas

No final do mês de janeiro o jornal internacional “New York Times” destacou mais uma vez a cidade do Porto com um “passeio” por 36 horas. Como é evidente não conhecerá tudo, mas aproveitará para tirar o melhor partido de alguns locais magníficos, como a impressionante estação de comboio, os bares “da moda” que servem bebidas com a assinatura do Porto, esta charmosa cidade oferece-lhe o melhor do antigo e do novo.

Pixabay

Arquitetura das casas portuenses

Segundo o prestigiado jornal é difícil encontrar algo menos bom sobre o Porto, desde os novos bares e restaurantes, um ambiente descontraído, facilitado pelo excelente vinho. O centro da cidade é repleto de ruas encurtadas com varandas enfeitadas com vasos de flores. Um dia ideal no Porto combina a grandeza da sua história e um renascer do novo a cada minuto. Mas como o título anunciava são apenas 36 horas, por isso vamos aproveitar da melhor forma.

Nas primeiras horas…

Entre comboios, telhados e doces a invicta vai deliciá-lo. A maioria dos visitantes chega de comboio, e vale a pena, só para poder apreciar a estação de São Bento. Mais de um século de idade, o interior do edifício está decorado com azulejos azuis e brancos, os requintados azulejos de que Portugal é tão conhecido.

A uma curta caminhada da estação, os amantes de doces irão encontrar dois estabelecimentos, a confeitaria Serrana, uma padaria familiar há mais de 40 anos, onde servem a melhor bola de Berlim da cidade. Também ali perto, na Cremosi, encontra um excelente lugar para provar um gelado de sabor alcoólico, constituído por vinho do porto e gin tónico.

Mas para quem é apreciador de vinho e não pode passar pelo Porto sem experienciar os néctares portugueses, nada melhor do que dar um saltinho à Vinologia. Para aqueles que estão mais interessados em amostras a loja oferece uma enorme variedade a preços acessíveis.

Pixabay

Mas não ficamos por aqui… O famoso chef português, José Avillez, já tem um empreendimento no Porto, Cantinho do Avillez, que atrai turistas e moradores locais para provarem os seus criativos pratos. Não perca a oportunidade e conheça este local magnífico.

No dia seguinte…

Ao almoço usufrua dos cafés e confeitarias da cidade e economize no preço, no espaço e no tempo, fazendo do seu almoço algo rápido. Confira ainda projetos como o Feeting, um conceito de loja chique de venda de roupas e acessórios, incluindo artigos de couro da marca portuense Maria Maleta. Em cada subida e em cada esquina encontrará locais de venda de produtos portugueses, com um estilo retro mas muito autêntico. O Centro Comercial Bombarda só abre a partir do meio-dia, mas a coleção de pequenas lojas e restaurantes na Rua da Bombarda que se aglomeram é o paraíso para os clientes que procuram lojas abarrotadas de mercadorias provenientes de estilistas locais.

Se depois destas visitas lanchar é uma prioridade, conheça o Stash, uma loja de sandes, que um chef com estrela Michelin abriu em 2014. Aqui degustará uma sandes de carne de porco ibérico preto cozido ou uma sandes de frango grelhado com pickles caseiros e um copo de vinho.

Mas parece que na invicta só se come, nada disso! Conheça a Sé do Porto, que tem entrada livre, e que possui uma miscelânea de detalhes arquitetónicos de vários séculos. Certifique-se de explorar o claustro gótico do século XIV, com a sua pedra requintado e azulejos decorativos. A praça em que a catedral fica conduz a uma visão perfeita sobre o mar de casas de telhados vermelhos pitorescas que se inclinam para o rio.

Pixabay

Azulejos

Também muito próximo, instalado numa antiga prisão, o Centro Português de Fotografia (entrada livre) tem uma localização incomum, bem como impressionantes exposições de fotografia temporárias. O edifício data do século XVIII, e ainda possui as grelhas que cobrem as janelas onde os prisioneiros eram mantidos até a Revolução dos Cravos, em 1974. No terceiro andar é uma coleção extremamente impressionante de câmaras de cada década, incluindo alguns fabulosos câmaras “espionagem” dos anos 60, 70 e 80.

Pixabay

Porto- Torre dos Clérigos

Um pouco mais à frente, na Torre dos Clérigos, imbatíveis vistas panorâmicas sobre as igrejas e os telhados de Porto, os históricos armazéns portuários, a curva do rio Douro e as gaivotas que varrem ao longo da orla da Ribeira pode ser visto a partir do campanário da Torre de Clérigos, com a entrada a 3 euros e com 225 degraus estreitos e em espiral.

Uma tendência deliciosa que é incrementada no Porto são os petiscos, a versão em Português das tapas. Em vez de um jantar, experimente alguns dos novos lugares. Na Rua dos Caldeireiros, um punhado de restaurantes têm aparecido recentemente, dos quais o “Caldeireiros” é o destaque. Pare aqui para uma alheira de caça, uma salsicha feita com carnes brancas, como coelho e galinha, e servido com espinafre e alho. Ou experimente a sandes de lombo de porco, cobertas com queijo derretido e um bom vinho.

Nas últimas horas…

No dia seguinte reserve o almoço com antecedência na Cervejaria Brasão. Os pisos de azulejos rústicos, acentos de madeira e paredes de pedra fazê-lo parecer como se tivesse sido sempre assim, mas que abriu em 2014. As refeições começam com pão e manteiga aromatizada com presunto ibérico; siga isto com a tartárea de carnes e batatas fritas frescas, ou moelas estufadas. Adicione toda a cebola frita servida com maionese de alho. Almoço para dois, cerca de 30 euros.

Pixabay

Ponte Dom Luís I -Porto

O tabuleiro da Ponte de D. Luís I estende-se a partir da Ribeira do Porto para o Rio Douro e para Vila Nova de Gaia. Passeie ao longo da ponte, com as suas vistas deslumbrantes rio abaixo, para os armazéns portuários que pontilham o lado oposto. Quase todos oferecem passeios, mas é a vista do Porto e da movimentada orla Ribeira que é a característica mais espetacular. Passeie ao longo da margem do rio, ou vá ao Sandeman ou Taylor, em seguida, apanhe o teleférico que o vai levar de volta para a ponte.

Passado isto as 36 horas já se forma e você certamente vai querer regressar e repetir!

 

Aqui há tempos visitei Portalegre

Portalegre? Não sei muito bem qual o motivo mas sempre me senti atraído pelo Alentejo…

Não é que haja falta de razões para alguém se sentir empolgado com esta região… simplesmente não encontro nada nas minhas raízes que me explique este fascínio por ela…Talvez o facto de ser uma pessoa reservada e encontrar lá o sossego e a tranquilidade que necessito para o meu equilíbrio possa servir como razão… ou porque gosto de história… cultura… e de natureza… ou então apenas porque sou um fã das coentradas e das açordas…

Portalegre - Vista da Capela do Calvário

Portalegre – Vista da Capela do Calvário

Bem! Acho que me estou a dispersar um pouco do tema já que vim cá foi mesmo para falar desta cidade norte Alentejana denominada Portalegre.

Portalegre tornou-se cidade a 23 de maio de 1550. Foi elevada a esta categoria pelo Rei D. João III. É capital do distrito com o mesmo nome desde 18 de julho de 1835.

Portalegre - Sé Catedral vista do Castelo

Portalegre – Sé Catedral vista do Castelo

Talvez o cunho da época medieval seja o mais evidente nesta cidade, mas não é com certeza o único. A variedade arquitetónica é enorme e um passeio pelo centro histórico da cidade pode revelar-se surpreendente. Suba ao Castelo e espreite a cidade de uma outra perspetiva. Visite a Sé Catedral de Portalegre, o Museu Municipal e a Casa Museu José Régio… Descanse à sombra do centenário plátano cuja copa atinge os 111 metros de perímetro… Almoce num dos vários restaurantes da cidade e aprecie a mistura de tradição e modernidade…

Portalegre - Plátano Centenário

Portalegre – Plátano Centenário

Se é um amante da natureza e das atividades ao ar livre pode desfrutar da variedade da fauna e flora do Parque Natural da Serra de São Mamede. Faça os percursos pedestres sinalizados. Percurso Pedestre das Carreiras e Percurso Pedestre do Reguengo. Chegue ao pico da Serra de São Mamede e estará no ponto mais alto do Alentejo, com 1025 metros de elevação. Vai avistar para norte o Marvão e Castelo de Vide e para oeste, se tiver sorte com a visibilidade, o Oceano Atlântico.

Portalegre - Santos Populares

Portalegre – Santos Populares

Se visitar por altura dos Santos Populares divirta-se à noite nas ruas da cidade e aproveite para jantar uma bela sardinhada ou uns secretos de porco preto em coentrada… Bem! Tudo isto são só sugestões…

Quando voltar lá, porque vou voltar, o texto será outro mas o fascínio será o mesmo…