O Lagar mais apetitoso de sempre fica em Torre de Moncorvo

Com paisagens de cortar a respiração, o concelho transmontano está repleto de singelas maravilhas, a começar pela gastronomia.

Ao palmilhar as ruas estreitas de Torre de Moncorvo, encontrará a magnífica igreja da vila que requer uma visita longa, assim como a Igreja da Misericórdia ou o Arco da senhora dos Remédios. Mas é numa dessas ruas a descer, encostada à grandiosa igreja de Moncorvo que a uns 100 metros encontrará um dos melhores segredos de Torre de Moncorvo.

Vídeo da Associação de Desenvolvimento Territorial- Vale do Côa

O restaurante O Lagar, que ao percorrermos com os olhos as portas de entrada deparamo-nos com todos os galardões atribuídos, inclusive o Garfo de Ouro (prémios Boa Cama Boa Mesa atribuídos pelo Expresso). Local de repasto muito acolhedor e agradável, aqui sentir-se-á em casa.

Edifício rústico, local que outrora fora uma adega de vinho, acolhe há cerca de 30 anos um restaurante com uma decoração em tons castanhos, cheio de iguarias e bons vinhos para nos deleitarmos.

Aqui poderá degustar refeições generosamente bem servidas, muitos bem confecionadas, com temperos bem ao gosto dos palatos mais exigentes! A posta de vitela é o ex-libris do Lagar, mas garantimos-lhe que se comer o bacalhau também não sairá mal servido.

O vinho é “ao gosto do freguês”, com variadíssimos vinhos de várias zonas, mas como é óbvio devido à proximidade geográfica aconselhamos um néctar do Douro.

De atendimento rápido e eficiente, será atendido por um staff muito simpático e atencioso. Para além de todas estas requintadas mais valias a relação qualidade-preço é muito abonatória, não sendo de categoria económica, é um sítio onde se come tão bem por um bom preço!

A destacar

A destacar temos a qualidade do azeite com que toda e comida é confecionada, com que o requeijão de entrada é servido e com o que nos é colocado à disposição para os temperos.

As sobremesas são caseiras e tradicionalmente regionais, sendo um pouco mais sofisticadas e de um sabor extraordinário (tanto  a mousse e a tarte de amêndoa). Caso tenho barriga para tal aproveite a prove a trilogia de doces que o Lagar tem como sugestão.

Uma deliciosa mousse de amêndoa caseira do restaurante Lagar

Conselho

No Lagar nunca o deixariam sair de estômago vazio, no entanto, e devido à afluência de pessoas quer durante a semana ou ao fim de semana, aconselhamos a prévia reserva. Para evitar esperas ou surpresas!

O culto da serenidade no Colmeal CountrySide Hotel

Como o próprio slogan indica “Land of Silence”, a terra do silêncio, foi o local de estima para o acolhimento desta unidade hoteleira tão diferenciadora.

A procura da serenidade é o grande mote para quem escolhe o Colmeal CountrySide Hotel. Ao chegar a Colmeal (aldeia de Figueira de Castelo Rodrigo) encontramos um hotel e uma casa autónoma, imóveis modernos construídos em cima de ruínas. À volta das novos edifícios há alguns restos de habitações de xisto e granito com relva em volta, a céu aberto e com a natureza pura a envolver este local idílico.

Aqui poderá contemplar o céu, as paisagens, os bichos que por ali andam, e fazer um culto ao silencio e à paz de espírito. Aqui só se cruzará com o staff do hotel, visto que a aldeia não é habitada por mais ninguém já há alguns anos. Para os mais interessados neste pormenor tão característico, basta pesquisar no site ou quem o receber na sua estada também o elucidará e contextualizará melhor sobre esta particularidade.

A ida até Figueira de Castelo Rodrigo poderá servir para descobrir rotas gastronómicas (muito atraentes nesta região), as  rotas do descanso, como é o caso do hotel, ou apostar nas rotas culturais e naturais.

Caso opte por conhecer nos próximos meses o Colmeal CountrySide Hotel garantimos-lhe que é a altura perfeita, visto que a região será proximamente pintada pelas cores claras das Amendoeiras em Flor.

Descobrir novos locais

Se estiver com vontade de conhecer outros locais no interior, podemos indicar-lhe que a 30 minutos poderá encontrar: Aldeia histórica de Castelo Rodrigo; Alto da Marofa; Convento de Santa Maria de Aguiar; Igreja de Escalhão (no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo); Barca d’Alva (rio Douro); Passeio de barco no Douro; Reserva Natural Faia Brava ou as Termas da Fonte Santa. Soluções é que não lhe faltarão!

Montebelo Viseu Congress Hotel: o requinte aliado à simplicidade

Próximo do centro da cidade de Viseu, este hotel 5 estrelas oferece-lhe a comodidade de 172 quartos, um SPA e um campo de golfe para os aficionados da modalidade.

Para quem se desloca de pontos longínquos do país, não será custoso encontrar a unidade hoteleira. Geograficamente, é um hotel central, visto que o distrito de Viseu, no mapa, é bastante centralizado, e posteriormente, as vias de acesso são deveras simplificadas.

No que toca às comodidades do complexo, o Montebelo Viseu Congress Hotel oferece-lhe uma vista panorâmica sobre a paisagem circundante, bem como um amplo complexo hoteleiro para poder disfrutar de uma estada muito relaxante.

Comodidades

Piscina exterior para o verão e piscina interior climatizada para os dias mais chuvosos são duas grandes mais valias que certamente quererá descobrir nesta unidade. Mas as opções não se limitam por aqui, os tratamentos de SPA e de bem estar são outras regalias deste hotel. Os visitantes podem utilizar livremente a sauna, banho turco, jacuzzi, ginásio ou simplesmente relaxar no Pool Lounge.

Para quem preferir a prática de um desporto, poderá deleitar-se com o golfe. Situado entre serras, a 15 minutos do hotel, o golfe Montebelo alia a beleza do campo ao proveito do traçado. Jogar no golfe Montebelo é um verdadeiro desafio para os amantes deste desporto!

Relativamente aos quartos, por norma são bastante amplos e com uma decoração minimalista e sóbria, o que o fará sentir-se em casa. Os espaços em comum são afáveis e largos, o que permite a permanência de muitas pessoas sem grandes ruídos.

O bar do Montebelo Viseu Congress Hotel é sem dúvida um encanto, sempre com música ambiente muito agradável, com ótimo atendimento e com uma vista para a piscina exterior fantástica.

Para os mais exigentes, podemos garantir um ambiente moderno e acolhedor, em plena harmonia com o requinte, que tornará a visita memorável.

Nota informativa

Mais se informa que o grupo hoteleiro do Montebelo Viseu Congress Hotel é detentor de mais 6 unidades hoteleiras em Portugal e outros 6 hotéis em Moçambique.

Entrada do hotel Montebelo Viseu Congress Hotel

Entregue-se à tranquilidade e aos banhos termais do Cró Hotel Rural

Conforto é a palavra que melhor caracteriza a estância termal e o Cró Hotel Rural. A unidade hoteleira e termal à vista de qualquer visitante assenta em 4 pilares bastante simples: na arquitetura, na qualidade do serviço, no conforto, na saúde e bem estar.

Cró Hotel Rural – A arquitetura

Próximo do centro do concelho raiano do Sabugal, por entre terras esquecidas por muitos, e ao fundo de estradas ziguezagueantes, situa-se a estância termal do Cró, juntamente com a unidade hoteleira que será difícil não ser reconhecida imediatamente. A primeira impressão é positiva. Amplo parque de estacionamento no exterior e uma localização isolada que convida ao descanso.

De arquitetura audaz e de decoração elegante, a unidade toda ela em tons suaves e com a madeira como matéria-prima de eleição encantá-lo-á.

Qualidade do serviço

Com pessoal que dedica especial atenção aos hospedes, simpático e eficiente, nesta unidade nada é deixado ao acaso. Na receção é tratado gentil e dedicadamente, bem como na restauração. Com um serviço cuidado na hora de servir as refeições, não necessitará de estar alerta à procura do funcionário para o ajudar a escolher ementa ou auxiliar na forma de funcionamento dos variados espaços.

 

O conforto

A comodidade dos 30 quartos do Cró Hotel Rural, muitos deles com varanda, é evidente! Por muito que se encontrem pequenos pormenores menos abonatórios, na generalidade o conforto é visível. Os quartos não são exageradamente grandes, mas são modernos, com pormenores distintivos e com as regalias necessárias a um hotel de 4 estrelas.

As casas de banho são interessantíssimas, equipadas com banheira panorâmica, onde ajuda à invasão solarenga que serena todo o espaço.

 

Saúde e bem-estar é no Cró Hotel Rural

Com uma panóplia de atividades de saúde e bem estar disponíveis, aqui encontrará um moderno balneário termal com equipamentos de tecnologia de ponta e recursos humanos altamente qualificados, aliando a saúde, a prevenção e a manutenção ao bem estar, através de serviços de termalismo terapêutico bem estar e fisioterapia.

Só terá de se preocupar em levar o fato de banho, ou calção, os chinelos e a  touca, o restante (toalhas, e roupões) são disponibilizados sem ter que requisitar. Isto porque, qualquer hóspede do hotel tem acesso à piscina lúdica, e beneficiam de descontos em todos os serviços do balneário (exceto consulta médica)

Descubra 7 Maravilhas da Aldeia Histórica do Piódão

O acesso ao Piódão é difícil mas a recompensa é enorme. Logo à chegada será contemplado por uma vista panorâmica da aldeia. Casas em xisto, com os telhados de lousa negra e as janelas e portas pintadas de azul, dispostas quase como num anfiteatro meticulosamente planeado.

Com o protesto do corpo doente pelos safanões tormentosos da longa caminhada, vim aqui despedir-me do Portugal primevo. Já o fiz de outras imagens da sua configuração adulta. Faltava-me esta do ovo embrionário.

(Torga, Piódão, 7 de Abril de 1991)

Se chegar ao anoitecer, a iluminação artificial da aldeia vai-lhe permitir perceber o porquê de Piódão ser conhecida como a “Aldeia Presépio”.

Piódão pertence ao Concelho de Arganil e faz parte da rede das “Aldeias Históricas de Portugal”. Está classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1978.

A Igreja Matriz de Piódão

Por entre os tons escuros do xisto e da lousa, dominando toda a praça, destaca-se a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Piódão. Caiada de branco, com detalhes em azul turquesa, é um edifício peculiar que sofreu remodelações ao longo dos anos.

Igreja Matriz do Piódão - www.visitarganil.pt

Igreja Matriz do Piódão – www.visitarganil.pt

É provável que a primitiva igreja do Piódão, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, padroeira da freguesia, tenha sido construída no século XVII, conforme algumas referências.

A existência de uma escultura em calcário dedicada a Nossa Senhora da Conceição da segunda metade desse século e anterior a 1676, data da criação da freguesia, poderá também ser contemporânea da edificação da Igreja.

No final do século XIX a fachada da Igreja Matriz ameaçava ruir e foi reconstruída ao sabor do gosto neo-barroco, eclético e romântico da época, por iniciativa do cónego Manuel Fernandes Nogueira. As quatro finas torres cilíndricas rematadas em cones, parecem conferir movimento à frontaria, enquanto a torre sineira de planta quadrada se encosta a meio da fachada sul da Igreja.

Conta-se que um dia os habitantes juntaram todo o ouro disponível e mandaram um velho pastor pedir ao Bispo de Coimbra autorização para construir a igreja. Perante tão dispendiosa solicitação, preparava-se o Bispo para recusar o pedido, quando o velho pastor, abrindo o seu barrete serrano, lhe mostrou as luzidias moedas de ouro necessárias a tal empreitada.

Capela de São Pedro

Bem no topo da aldeia, encontramos a Capela de São Pedro, um pequeno templo do século XVI. No interior está a imagem de São Pedro, padroeiro do Piódão. Todos os 29 de junho se festeja em honra deste santo.

Capela das Almas

Sofreu diversas transformações desde o século XVIII até hoje. Representa as almas do purgatório e foi durante vários anos capela mortuária do Piódão e de outras aldeias circundantes.

Praia Fluvial de Piódão

Na ribeira do Piódão encontra-se uma zona fluvial que reúne as condições perfeitas para a prática da atividade balnear. Com água fresca, límpida e inserida num local bastante arborizado, a Praia Fluvial torna uma simples visita em momentos que desejará repetir.

Praia Fluvial do Piódão - www.visitarganil.pt

Praia Fluvial do Piódão – www.visitarganil.pt

Em 2016, esta praia foi galardoada com Bandeira Azul, atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), que atesta a qualidade superior da água, as características da envolvente e a qualidade de infraestruturas de apoio e segurança.

Museu do Piódão

O museu situa-se na praça principal da aldeia. Foi inaugurado em 2003. Foi antes morada do pintor Torres Vilaça.

A vida do coletiva do Piódão ao longo dos séculos é recordada no museu. A maior parte das peças foram doadas pelos habitantes… Desde fotografias antigas até a peças que faziam parte do quotidiano dos habitantes da aldeia. Passando por algumas peças curiosas como por exemplo um aerodínamo artesanal que, no início da década de 60, forneceu pela primeira vez energia elétrica à aldeia.

O museu é uma extensão do Museu Etnográfico de Arganil.

A paisagem envolvente

Ao atravessar a Serra do Açor, por caminhos e veredas, somos presenteados com uma paisagem verdadeiramente deslumbrante. De arganil a Piódão são cerca de 35 Km repletos de pontos de interesse paisagístico.

Serra do Açor - www.visitarganil.pt

Serra do Açor – www.visitarganil.pt

Arquitetura da aldeia de Piódão

A aldeia do Piódão mantém o traçado antigo e irregular, característico das aldeias medievais. Há harmonia na construção e a integração no meio é quase perfeita.

Piódão - www.visitarganil.pt

Piódáo – www.visitarganil.pt

Algumas Curiosidades

Na construção tradicional, não era utilizado cimento na edificação das paredes de Xisto dos edifícios.

Vai encontrar algumas cruzes no topo das portas. Normalmente coloca-se uma cruz por ano. Invocam proteção a Santa Bárbara contra as trovoadas e “todos os males”.

A primeira estrada para o Piódão só foi construída em 1972. A estrada mais próxima acabava a 12 quilómetros da aldeia.

Piódão não é a povoação original. Existia num vale ali perto um outro povoado designado de “Casal de Piodam”, que quer dizer “o povo que anda a pé”.

O Piódão sempre foi referenciado como local de refúgio de bandidos e heróis populares. Consta do culto e do imaginário popular que, alguns foragidos da justiça, com João Brandão, o Oliveirão e o Zé do Telhado, se refugiaram na Aldeia. Ainda que um dos assassinos de D.Inês de Castro, Diogo Lopes Pacheco, terá encontrado abrigo na casa do abade, enquanto fugia às tropas reais.

Moura, terra soalheira e afável

É de salientar que o famoso Alqueva é outra das fronteiras desta terra tão acolhedora. Para além desta forte ligação com a barragem, a cidade possuí uma grande abundância de água. Moura tem inúmeras fontes, sendo também conhecida pelas suas termas e pela celebre Água do Castello.

História Mourense

Concelho com uma população residente de 15.167 habitantes, Moura revela em cada recanto uma história, e em cada local um motivo diferente para se deslumbrar. Mas a história desta terra advém de tempos longínquos, mais concretamente da pré-história. Na zona de Santo Aleixo são detetáveis vestígios que comprovam uma ocupação pré-histórica, sobretudo na Herdade da Negrita, onde se encontra um importante conjunto megalítico.

Moura- Foto da Câmara Municipal de Moura

Moura- Foto da Câmara Municipal de Moura

Já o Castelo assenta sobre um povoado da Idade do Ferro de comprovada importância política e económica, contemporâneo do Castro da Azougada, dos Ratinhos e do Álamo, onde em 1930 foi feito um importante achado de cinco peças em ouro, hoje depositado no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia.

O Castelo foi reconstruído no séc. XIV, numa época em que fora incrementada a ocupação do espaço extra-muros, com a expansão da Vila pelos arrabaldes.

Fonte: Câmara Municipal de Moura

A gastronomia e os produtos regionais

O Alentejo já é reconhecido pelo sua vasta diversidade e qualidade na área gastronómica, e Moura não é exceção. Com uma produção rica em azeite, vinho, mel, pão e bolos, as entidades do concelho estimulam a comercialização destes produtos endógenos através de certames e festas. Com aproximadamente 90 produtores e comerciantes destas iguarias facilmente poderá adquirir ou levar até à sua mesa alguma destas delícias.

Artesão e artesanato mourense (Fotografia do Município de Moura)

Artesão e artesanato mourense (Fotografia do Município de Moura)

Mas o artesanato é outro “hábito” das gentes mourenses. As cadeiras de buinho, o ferro forjado, os trabalhos em xisto, a cestaria e a latoaria são peças do património de Moura que não deve deixar de conhecer e até quem sabe adquirir.

Moura e os monumentos

Por entre ruas estreitas e casas pintadas de branco a cidade foi crescendo em volta de todo o património e de tudo o que a caracteriza.

O concelho tem dois monumentos nacionais, a Igreja de São João Batista, em Moura, e a Igreja Matriz de Santo Aleixo, para além de um apreciável conjunto de imóveis e conjuntos classificados (Quartéis, Igreja de São Pedro, Mouraria, Anta da Negrita).

O visitante pode ter a noção perfeita da história de cidade e do concelho num percurso pelo património e pela história local. Para além do património histórico e cultural merece a atenção dos visitantes as paisagens circundantes do concelho.

Festas e Romarias

Anualmente realizam-se em Moura, a Feira do Bovino Mertolengo, a Feira Empresarial, a Feira do Artesanato e, de dois em dois anos, a Olivomoura – Feira Nacional de Olivicultura.

Numa cidade que vive de forma intensa os seus costumes, as Festas da Padroeira, em honra de Nossa Senhora do Carmo (em julho), que trazem a Moura milhares de visitantes, e certamente também merecem a sua visita a esta terra tão afável!

A Mui Nobre e Sempre Leal Vila de Marvão

Empoleirada em enormes rochedos, no topo da Serra do Sapoio, a mais de 800 metros de altitude, esta enorme estrutura defensiva de muralhas e baluartes, foi desde muito cedo e até ao século XIX preponderante na defesa do País. Marvão participou em todas as guerras de Portugal contra inimigos externos, fazendo parte da primeira linha defensiva do território português.

A beleza arquitetónica e paisagística é realmente extraordinária. Edifícios históricos bem preservados… jardins cuidados… todo o conjunto edificado está em harmonia guardando a singularidade do burgo medieval.

As “ruas entrelaçadas”, repletas de edifícios imaculadamente caiados de branco, são como um labirinto onde para onde quer que se olhe se vislumbra uma preciosidade…as portas e janelas são de arquitetura variada e constantemente embelezadas por flores em vasos suspensos.

A vista? A vista é de se perder na imensidão do horizonte. De um lado Espanha, do outro Castelo de Vide… Há inclusive quem vislumbre a Serra da Estrela bem lá longe no topo de Portugal Continental.

Castelo de Vide desde Marvão

Fortificação Medieval

O caráter singular do património arquitetónico militar da fortaleza de Marvão, é o facto de ele representar aquilo que em terminologia militar se designa por sobreposição de fortalezas. As diversas fases estão bem documentadas, as suas dimensões são gigantescas, a sua localização é ímpar e a conservação é exemplar.

Fortificação Militar - Marvão

Fortificação Militar – Marvão

Vale pelo seu conjunto, no entanto, podemos destacar alguns elementos da fortificação com valor individual: a cisterna grande, dos finais da Idade Média / princípios da Idade Moderna. As Portas de Ródão, Portas da Vila e o Postigo do Torrejão.

fonte: Câmara Municipal de Marvão

Igreja de Santa Maria, Marvão

Trata-se de uma construção gótica, que sofreu várias remodelações a partir do século XVI.

Igreja de Santa Maria - Marvão

Igreja de Santa Maria – Marvão

O portal principal, de granito, voltado a nascente, foi reestruturado no século XVI. Apresenta um frontão interrompido, encimado por uma janela rectangular, ladeado por uma torre quadrangular com dois olhais. O acesso à torre é feito através de escada em caracol de granito, do século XVI.

Interiormente mantém o espaço com três naves separadas por arcadas de pilares a sustentar três arcos redondos, em alvenaria.

É hoje Museu Municipal.

fonte: Câmara Municipal de Marvão

Igreja de S. Tiago, Marvão

Também esta igreja é de traça gótica. O portal é encimado por uma cruz da Ordem de Malta. O interior conserva o espaço primitivo de três naves, onde o retábulo da capela mor, relativamente recente, substitui um antigo de talha.

fonte: Câmara Municipal de Marvão

Sugestões e Curiosidades

Existem muitos mais pontos de interesse que devem ser visitados e que não estão refletidos neste artigo. A oferta gastronómica é variada e aconselha-se. Existem também inúmeros alojamentos de qualidade.

À saída, junto ao Rio Sever, pode ver ainda uma ponte quinhentista. E pode passar numa estrada com um peculiar túnel de árvores.

Marvão foi fundado no século IX pelo árabe Ibn Maruan.

Ficam as dicas.

Por terras de Vila Nova de Foz Côa

O interior de Portugal é muitas vezes desprestigiado, isto porque maioria das pessoas não conhecem em profundidade a magnificência de alguns dos locais em questão.

Foz Côa de todos os encantos

Vila Nova de Foz Côa é um desses exemplos. Terra verdejante, repleta de oliveiras e vinha, aqui os planaltos e vales são contínuos. Por Foz côa os visitantes terão a oportunidade de desfrutar de tranquilas e imponentes paisagens onde termina o Douro Internacional e começa o Alto Douro Vinhateiro.

Vistas do Museu do Côa sobre o Douro

Para que tenha noção da amplitude turística de Vila Nova de Foz Côa, o concelho pertence à Região do Vale do Côa, ao Alto Douro Vinhateiro, pertence ainda à Região do Turismo de Porto e Norte, e é um dos únicos locais em Portugal com um Parque Arqueológico Rupestre, o Parque Arqueológico do Vale do Côa. Apenas por este excerto conseguirá comprovar que são vários os motivos que o poderão levar a esta terra rica e imponente.

 

Rica em vinhos, em Vila Nova de Foz Côa existem vários néctares de renome, bem como um festival vitivinícola que enaltecem todos os vinhos da região. Mas para complementar todo este espólio existem os turismos de habitação que fortalecem o turismo vitivinícola da região. Podemos falar-lhe das Casas do Rio e do vinho Vallado ou a Quinta do Chão D’Ordem propriedade com cerca de 30 hectares, rodeada por vinhas, oliveiras e amendoeiras.

 

Vinha Douriense

Mas a riqueza deste terra é também devido às suas extensas e delirantes paisagens. Num concelho com cerca de 7.500 habitantes, existem no mínimo seis miradouros para que se possa embebecer com as luxuriantes vistas sobre o Douro. Os locais que queremos evidenciar são: o Miradouro de Nossa Senhora do Viso (Custóias), o Miradouro de Sta. Bárbara (Mós), o Miradouro de S. Martinho (Seixas), o Miradouro de S. Gabriel (Castelo Melhor), o Miradouro da Mata dos Carrascos (Santo Amaro) e o Miradouro do Arnozelo (Numão).

Em questões arquitetónicas Foz Côa encontra-se bem distinguida no panorama nacional e internacional, com o fabuloso Museu do Côa e o moderno Centro de Alto Rendimento do Pocinho. Duas unidades que deverá visitar e deixar encantar-se!

Claramente que poderia falar-lhe ainda dos produtos regionais como os enchidos, dos passeios de barco no Douro ou até enunciar-lhe o Património Edificado deste concelho, mas fica para um próximo artigo.

5 Motivos para se fascinar com a nobreza de Almeida

Começamos este novo artigo com uma citação, de forma a demonstrar-lhe a devida grandiosidade que a cidade de Almeida carrega. Os vestígios históricos vêm do Paleolítico, mas é na era medieval que se estrutura a linha caracterizadora do território. Mas não iremos estender a questão histórica de Almeida visto que quando visitar o concelho irá ter acesso a toda a história de forma detalhada.

Queremos exclusivamente elucidá-lo  sobre cinco motivos que o façam deslocar-se até à zona raiana, mais concretamente ao norte do distrito da Guarda, junto à fronteira com Espanha.

O património da Vila de Almeida

Almeida é conhecida pela sua fortaleza em forma de estrela de doze pontas. Constitui um dos mais espetaculares exemplares europeus dos sistemas defensivos do séc. XVII.

Vídeo promocional do Territórios do Côa sobre Almeida

Em Almeida não conseguirá alienar-se da história, isto porque os locais de interesse público e patrimonial são imensos. Dentro das muralhas encontra um Museu Militar, um Centro de Estudos de Arquitetura Militar, Palácio da Justiça – Intramuros / Antiga Vedoria e Casa dos Governadores, o Picadeiro d’el Rey, entre muitos outros espaços edificados.

Saúde e bem estar com as Termas de Fonte Santa

Entre paisagens verdes encontra-se o complexo termal de Almeida, denominado Termas de Almeida Fonte Santa. Aqui conseguirá fugir à rotina do quotidiano, onde carregará baterias sempre através de programas específicos para o seu bem estar. O complexo termal é constituído por uma área de tratamentos (balneoterapia), ginásios, sauna, banhos turcos, massagem e uma área médica. Aqui poderá proceder-se ao tratamento de doenças do aparelho respiratório, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas.

Aldeias Históricas

Já todos ouvimos falar nas Aldeias Históricas de Portugal. No entanto, muitos de nós não sabe que as Aldeias Históricas são 12, e que se encontram no interior da região Centro, formando um amontoado de aldeias único da história do nosso país.  A associação foi criada em 2007, e tem como objetivo promover o desenvolvimento turístico “Aldeias Históricas de Portugal” da qual fazem parte Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso.

No concelho de Almeida existem duas dessas aldeias, Almeida que se situa dento das muralhas, e a aldeia histórica de Castelo Mendo. Esta última fica um pouco distanciada do centro de Almeida mas que por outro lado se encontra em ótimo estado de conservação. Tanto uma como outra aldeia merece uma visita da sua parte!

O que comer e onde comer

Cozido à portuguesa, cabrito e borrego assado, arroz de lebre, coelho à caçador e a bola doce são algumas das iguarias que esta cidade lhe disponibiliza para se derreter por completo.

Os locais de degustação são variados, contudo recomedamos-lhe o Talmeyda.  “Talmeyda”, reza a lenda que a sua origem vem de uma mesa cravejada de pedras preciosas que existira em tempos. Para além da lenda, a mesa da região sempre foi rica e recheada de sabores e aromas. Na região, o Talmeyda é uma ótima opção para jantar fora de horas com preços justos face à qualidade dos petiscos servidos. Quando for para pedir a bebida opte por um vinho da de região, será sem dúvida uma agradável surpresa.

Os produtos endógenos

Queijos, presuntos, chouriços, morcelas e o bom vinho são os produtos mais reconhecidos da região. É importante frisar que Almeida é conhecida também pela salada de merujes. A meruje é uma verdura parecida com o agrião, mas mais tenra, e cresce na margem dos riachos sobretudo na zona centro da Península Ibérica

 

“Perlim” para todos os gostos

A época natalícia é propicia a fazer-nos sonhar e por muitas vezes fazer-nos regressar ao tempo em que mais acreditávamos no natal, a nossa infância. Uma das frases que mais ouvimos ano após ano é que o natal é para a crianças! Não podemos discordar dessa afirmação, no entanto também não invalida que possamos “ter para sempre uma criança dentro de nós”. Portanto, para quem é doido pelo natal e não quer perder a oportunidade de se divertir nesta época festiva, o melhor é ir até Perlim, em Santa Maria da Feira.

Para quem nunca ouviu falar, podemos confirmar-lhe que o Perlim realiza-se pela nona vez e é o maior parque temático de natal do País.

O Perlim abriu as suas portas no dia 01 de dezembro, e o fecho está previsto para dia 30 de dezembro. O espaço escolhido para esta festa mágica é a inesquecível Quinta do Castelo, local com mais de um século de existência, onde se mistura o melhor dos sonhos e do imaginário infantil ao encanto de todas as histórias.

Em Santa Maria da Feira, as portas voltam a abrir para trazer os sonhos e o melhor do imaginário infantil a todos que visitem este lugar especial onde se fala a língua dos Pês, e onde os seus habitantes têm características únicas e mágicas.

Mas este ano há um novo habitante que vai trazer mais magia a este parque, que é Merlim Querlim Ferlim. Mas existem mais protagonista da fantasia como a Pimpim e o Perlim, a Fada Piri, a Preciosa e o Pim… Muitos nomes, mas que as crianças fixam de forma muitos simples e rápida!

Doces do “Perlim”

O Perlim tem mais de vinte áreas temáticas, sendo os teatros musicais e os cenários interativos os fatores mais diferenciadores relativamente a outros cenários espalhados por Portugal.

Não nos queremos alongar muito sobre este evento encantado, queremos que visite, e para isso deixamos-lhe o programa, o site e ainda o facebook do Perlim. No que toca ao preço da visita, os valores variam de 5 euros aos 10 euros, sendo a entrada a crianças menores de 3 anos gratuitas.