Castelo de Sortelha

A “aura” medieval de Sortelha

O nosso ponto de partida para hoje são as Aldeias Históricas de Portugal. Já aqui falamos deste projeto que é uma das jóias do território português, as 12 aldeias localizadas no centro de Portugal e que contêm em si toda a sua originalidade e autenticidade.

Há uns meses falamos-lhe dos 5 Motivos para se fascinar com a nobreza de Almeida, e da  beleza e o requinte natural de Figueira de Castelo Rodrigo. Por aqui, continuaremos no distrito da Guarda, mas desta vez vamos para o concelho do Sabugal, mais especificamente, na Aldeia Histórica de Sortelha.

Sortelha

Dista cerca de 30KM da Covilhã, a 13KM do Sabugal e  localizada aproximadamente a 18KM da cidade de Belmonte, Sortelha é uma das aldeias históricas mais bem conservadas de Portugal.

Castelo de Sortelha

Castelo de Sortelha

Com a sua fisionomia urbana e arquitetónica intacta até hoje, Sortelha é uma das mais belas,  antigas e bem conservadas vilas portuguesas. Palco de séries televisivas e notícia em alguns meios de comunicação conhecidos internacionalmente, como é o caso da Revista National Geographic.

“O projecto Aldeias Históricas, iniciado há quase duas décadas, em 1994, e que integrou na mesma rede Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso, num total de quase onze mil habitantes, de acordo com o último Censo. Há um século, porém, no primeiro Censo da República (1911), vivia aqui praticamente o mesmo número de pessoas: 12.131.” (National Geographic)

Por entre muralhas, Sortelha esta repleta de casas e do seu imponente castelo, bem como ruelas estreitas e cuidadas em que o terreno o obrigará a cuidados devido à sua irregularidade. Com vista sobre a Serra da Estrela, Cova da Beira e Belmonte, com a paisagem e o sossego que o deslumbraram.

O que deverá visitar:

Em Sortelha, não deixe de visitar:

  • O castelo e a cintura de muralhas
  • Os Passos de Via Sacra
  • A igreja matriz, dedicada a Nossa Senhora das Neves
  • As capelas de São Sebastião e de Santiago
  • O antigo Hospital da Misericórdia e a Igreja da Misericórdia
  • Os inúmeros solares e casas senhoriais existentes por toda a povoação
  • “Pedra do Beijo” e “Cabeça da Velha”, dois penedos graníticos com formas invulgares (Centro de Portugal)

 

Bracejo

Poucas são as pessoas que dominam a arte da tecelagem do bracejo, com técnicas artesanais e utilizando uma matéria prima abundante na região. Partindo desta premissa foi assim que as Aldeias Históricas de Portugal dinamizaram um projeto chamado “Entrelaços”, que tem como objetivo promover este saber local, integrá-lo no quotidiano mas com linhas modernas e criar pequenas soluções de comercialização, susceptíveis de gerar mais emprego nesta região.

“O Projecto Entrelaços, materializado na Aldeia Histórica de Portugal de Sortelha, começou o ciclo produtivo de uma linha de mobiliário e de decoração com Marca Aldeias Históricas de Portugal. O percurso marcado por diversas acções de concertação entre agentes, criação de protótipos, teste de produto no mercado, sessões de esclarecimento, workshops e acções de formação-acção, prossegue agora com a criação de 5 postos de trabalho directos (4 artesãos e um coordenador). Aliar a técnica tradicional, à utilização de recursos endógenos (bracejo) e à criatividade dos designers foi o desafio deste projeto.” (AHP)

 

Onde comer

É um local histórico mas aqui também se degustam iguarias típicas e modernas, como é o caso do restaurante Casa da Esquila. Com buffet ou com menu de degustação, o restaurante prima pela excelência e bem servir, sendo detentor de um espaço amplo e confortável. Com muitos clientes aqui aconselha-se que vá cedo para conseguir uma mesa para almoço. Caso a eleição seja um menu de degustação convém antecipadamente fazer a marcação. Mas o restaurante não fica mesmo na aldeia histórica, o que o obrigará a fazer media dúzia de quilómetros para se deslocar até lá.

Caso a deslocação de carro esteja fora dos plano poderá optar pelo restaurante Dom Sancho ou o Celta, locais de repasto que ficam à volta da muralha.

 

Dornes e a simplicidade da Península do Zêzere

Dornes está implantada num braço de terra que avança pelo rio Zêzere, cercado de água por todos lados, exceto um, que liga a terra ao concelho de Ferreira do Zêzere.

Localizada a apenas 10 km de Ferreira do Zêzere, numa agradável enseada da albufeira do Castelo do Bode, a pequena vila de Dornes é uma das mais pitorescas do centro de Portugal. Com paisagens fabulosas, tendo o Rio Zêzere como pano de fundo, a simplicidade e calma são os atributos desta freguesia apelidada de aldeia.

Património de Dornes

Torre Pentagonal – Edificada sobre umas antigas ruína Romanas, por D.Gualdim Paes Mestre Cavaleiro da Ordem dos Templários. Feita de Xisto, com 20 metros de altura.

Torre Pentagonal de Dornes

Torre Pentagonal de Dornes

A Igreja Matriz de Dornes ou Santuário de  Nossa Senhora do Pranto, é um dos Monumento de Interesse Nacional. Com Talha Dourada, e totalmente revestida a azulejo do Sec XV e XVII, conta ainda com um Órgão Ibérico do sec. XVIII, onde se realizam concertos com organistas nacionais e estrangeiros.

Alojamento em Dornes

Dornes é uma localidade portuguesa do concelho de Ferreira do Zêzere, com 21,91 km² de área e 594 habitantes. Tendo em conta estes valores a oferta turística não é extensa, no entanto é de qualidade. Um dos locais é a Casa da Inveja.

“Casa Rústica do final do Sec.XIX situada em Dornes, de ambiente simples e acolhedor fazem da Casa da Inveja cenário ideal para um fim de semana ou dias de férias repousantes Longe do bulício da cidade”. (Casa da Inveja)

 

Grande Rota do Zêzere

“Ao longo de 370 Km, a GRZ- Grande Rota do Zêzere, acompanha o Rio Zêzere desde a nascente, na Serra da Estrela, até à foz, em Constância, onde encontra o Rio Tejo. Projetado para ser multidisciplinar, o percurso pode ser feito a pé, de bicicleta ou de canoa, de forma contínua e encadeada, por troços ou mesmo em circuitos multimodais”. (Aldeias de Xisto)

 

 

https://www.flickr.com/photos/mpeinadopa/8724571184/in/photolist-eiCUTD-ehRFBt-eiDjkM-ei6LtH-eiuDx6-eizVKq-eiJZjs-ehWjxU-eibim5-eiJLkd-eicADu-eiurYD-ei5KKX-ehXH47-eiyWwN-eiDpMK-eiyGss-eiJU7U-eiAj5G-eiuM2M-eiz9oL-ei6vZv-ehRQpv-eiABvs-eiuXBZ-uaYKxR-ehRkSM-36C9D-eiThLB-63dYXi-eiUatB-eiUE3r-ehReig

Rio de Onor – A aldeia guardada no Montesinho

O Parque Natural de Montesinho (PNM) situa-se no Alto Nordeste transmontano, abarca os concelhos de Bragança e Vinhais, e faz fronteira nas restantes vertentes com Espanha. E é ao concelho de Bragança que pertence Rio de Onor, a aldeia maravilha em área protegida.

Falamos-lhe de uma pequena aldeia de excelência rodeada de montanhas e vales com caraterísticas únicas, casas pequenas de xisto e telhados de lousa. Em Rio de Onor as suas gentes utilizam um dialeto próprio (o rionorês), para preservação das memórias e suas tradições.

Esta aldeia transmontana tem uma aldeia homónima,  Rihonor de Castilla, mesmo do lado espanhol. As populações de ambos os lados vivem essencialmente da agricultura e da pastorícia, onde o sistema comunitário de base ainda se mantém nalguns aspetos do quotidiano.

Onde ficar em Rio de Onor?

Aldeia bastante turística, aqui encontrará pontos turísticos fantásticos e singulares, como o Parque de Campismo Rural de Rio de Onor, local para dormitar.

Com comentários a roçarem o excecional , a Casa da Portela em Rio de Onor é uma casa típica, que  mantém a traça original mas que no interior é apetrechada de novos e sofisticados equipamentos. De muito bom gosto, e com linhas simples aqui poderá passar uns dias com calma, e relaxar com todo o conforto da sua casa.

Área comum da Casa da Portela - Rio de Onor

Área comum da Casa da Portela – Rio de Onor

Outra possibilidade é o Montesinho Turismo está situado numa pequena aldeia no interior do parque natural, a 16Km de Rio de Onor. O alojamento é composto por 6 casas diferentes, algumas localizadas no centro de Gimonde e outras na Quinta das Covas. As acomodações foram totalmente renovadas em estilo contemporâneo, tendo sido mantido o caráter e a atmosfera originais. Estas casas tem uma mais valia que é o preço-qualidade, bastante acessível e com uma qualidade muito satisfatória. A visitar…

O Que fazer?

Pode ser praticada uma variedade de atividades nesta região, tais como observação de aves, observação de fauna, pesca e caminhadas. Com o aluguer de bicicletas poderá ainda conhecer trilhos encantados e pouco conhecidos.

A cerca de 30 minutos de carro do Lago de Sanábria Natural, este é um local que poderá visitar na nossa vizinha Espanha, ou então aproveitar para ir até à capital de distrito, Bragança. Encontrará por terras do nordeste transmontano vários motivos para se apaixonar…

Gastronomia

A gastronomia de Bragança destaca-se pela origem dos ingredientes e pela qualidade dos produtos. Cozinha de confeção relativamente simples, damos-lhe o exemplo da saborosa posta de vitela mirandesa (temperada com sal e colocada nas brasas) é um pitéu de salivar por mais.

Os pratos de caça confecionam-se de maneira tradicional, de onde saem aromáticos estufados paladares únicos e muito típicos.
Na mesa transmontana nunca faltam os enchidos como as alheiras, chouriças, salpicões, presuntos, chouriços e do mel.

https://www.flickr.com/photos/loufi/2457315068/in/photolist-4K9oab-MjDRX-G3wJy-PXLPm-Go7zo-JiEwr-MjaCE-dc6dX8-dc6eRE-98SVep-bJdPM8-bvj3TE-4K593z-bvAY3J-bJdURR-4K9rEq-bJdY5z-4K58BP-bvAX47-4K9s2y-bvj9Jw-bvj56o-bvjauJ-4K9oDC-bJdUfX-bJdSXt-soRay6-GomCX-GoinY-PXNa5-G3wf5-9BgGfh-auiNyb-Mjjma-auiNyd-Mjm6c-Mjy7V-bcJts6-auiRfS-MjtPk-Mjqcz-MjmtW-Mjnqk-auiRgs-auiNyJ-MjjVB-auiRgw-auiNym-auiNxE-auiNy3

Monsaraz: tradição entre a natureza

Mas locais com uma localização privilegiada como a de Monsaraz são poucos.

Situada no topo da colina e com vista sobre o Alqueva e sobre a fronteira com Espanha, esta aldeia tornou-se altamente cobiçada e com um crescente interesse turístico.

História e Património

Em 1167, a aldeia pertencente ao concelho de Reguengos de Monsaraz, foi conquistada aos mouros. Após reconquista definitiva, em 1232, D. Sancho II doou a região à Ordem do Templo (aos Templários), para defesa e repovoamento.

Do património realçam-se as fortificações, a Igreja Matriz, construída no séc. XVI, o Castelo de Monsaraz, a Casa da Inquisição (umas das únicas no país) e o Pelourinho.

https://www.flickr.com/photos/dielis/6087995285/in/photolist-agYyTX-ah2nGG-ah2nRq-7VdMVu-buf3v9-872qi8-7VamAa-aiywdM-aiBixC-aiyvEF-aiBjeG-aiBjDy-aiyxct-atXzAy-aiBiYs-7VdJkw-aiywGk-aiyv9P-aiBkeE-7VdxSy-gCeztA-9PVXnU-aiyvxk-ah2nxE-7VpktT-7VdCiu-agYyGZ-ah2okm-agYz4T-7Vake2-7VpoEx-aiywNR-7VdGty-7VsDaU-7Vap5K-7VsDgS-7Vpgc2-7Vauyp-7Vtpmm-gDxmNc-ah2oC9-aiywAH-7VpieP-7VdEL5-7X2ahE-7Vtrao-7X1Qew-7VazwB-7VaAiR-7VswYo

Monsaraz, Portugal

Monsaraz tem mais de 150 monumentos megalíticos, e as suas fortificações estão classificadas como Monumento Nacional desde 1946. A aldeia possui  influências romanas, visigóticas, árabes, judaicas e cristãs.

Monsaraz  virou as “costas” ao tempo e deixou-se ficar intemporalmente magnífica, quase perfeita. As muralhas que circundam a vila guardam uma povoação acolhedora (como todos os alentejanos), onde a luz ilumina os tradicionais lares destas gentes. Descobrir Monsaraz é viajar no tempo e conhecer mais da sua história.

Aldeia Pitoresca

Pequena e pitoresca, Monsaraz confunde-se nas cores. Cercada bem lá no alto por planícies castanhas esverdeadas, a sua muralha circundante faz parecer uma aldeia mais forte e imponente. Ao subir às suas muralhas irá deslumbrar-se com a infinita mancha azul do Alqueva.

Onde dormir

De aspeto rústico e cuidado, também as dormidas por cá são acolhedoras e bonitas. No centro da aldeia e muito próximo do Castelo de Monsaraz tem o Turismo de habitação Dom Nuno. Casa tipicamente alentejana, com os ornamentos interiores muito alentejanos, dispõe de um espaço exterior reconfortante e com uma vista deliciosa sobre as planícies. De fazer sonhar qualquer um!

Se preferir um local fora do centro da aldeia, poderá optar pelo turismo em espaço rural Bio-Oásis de Monsaraz. Assim contemplará o castelo e aldeia de Monsaraz a qualquer momento. Local calmo e aprazível, fará com que descanse e aproveite a calma alentejana.

Flickr https://www.flickr.com/photos/plugman/4540395786/in/photolist-7VdHtY-7VdFx3-7VakSZ-7VpowF-7VavfM-7VdzhU-aiBiDW-7Vq6Fe-7X26Eh-7VaiMM-7VthGA-9XtAH8-7VswRC-7Vq4Un-7Vpo2Z-oJyJd1-n6Rkeu-n6PxiT-8xgXGK-8xgXkX-6eubd8-aYuMY4-aYuLNp-aYuMjn-aYuHrg-aYuNNp-aYuKRt-aYuPXi-aYuHBc-aYuH6P-aYuHQM-aYuPac-aYuLfi-aYuPrZ-aYuM5X-aYuJY6-aYuMvV-aYuJvR-aYuNvB-aYuJJv-aYuMKB-aYuKog-aYuJhR-aYuKAB-aYuLwH-aYuNhc-aYuGQB-aYuPFV-aYuRCp-aYuKbP

Praia Fluvial

Esta é a primeira praia do grande lago Alqueva, um dos maiores lagos artificiais da Europa. “Mais três mil metros quadrados de areia e mais 380 lugares de estacionamento.” (Evasões)

Aqui os veraneantes têm uma estrutura flutuante (uma piscina de 100 metros quadrados), com zona para crianças, adultos e solário. Garantidos estão também os nadadores salvadores, posto médico, duches, chuveiro duplo com lava-pés e rampas de acesso à água para utilizadores com dificuldades de mobilidade.

Os visitantes têm à disposição um bar e restaurante, assim como um parque infantil, zona de merendas e rampa para acesso dos barcos à água.

A praia, que detém as classificações de Praia Acessível e de Praia Saudável, conquistou também a bandeira azul atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa.

Isto é Lisboa …

A capital portuguesa está carregada de hábitos antigos e de uma história secular, que se cruzam com animação. Cidade com luz, hospitaleira e segura, Lisboa é uma das melhores opções europeias para fazer uma escapadinha!

“Lisboa cheira aos cafés do Rossio
E o fado cheira sempre a solidão
Cheira a castanha assada se está frio
Cheira a fruta madura quando é verão”.

Cheira a Lisboa – Amália Rodrigues

Lisboa

Capital de Portugal e cidade mais populosa de nosso país, é o centro económico, financeiro e político. Foi desde sempre o local de decisão, carregando em si a responsabilidade de representar a portugalidade, bem como irradiar ou expandir os turistas para os pontos mais longínquos do nosso país. É muitas vezes a partir de Lisboa, muito graças às vias de transportes já existentes, que os visitantes e turistas optam pelo meio de transporte para conhecer todas as maravilhas portuguesas.

Lisboa está carregada de história que advém da época do Neolítico, da era Romana, e da nossa época dourada, a dos Descobrimentos.

Monumento dos Descobrimentos

Monumento dos Descobrimentos

O que fazer em Lisboa?

Será impossível visitar tudo em pouco tempo, portanto, a melhor forma é delinear um roteiro com as suas preferências, nomeadamente, história, música, gastronomia, paisagens, e usufruir da melhor forma o que a cidade alfacinha tem para si.

Bruce Springsteen, Rock in Rio - Fonte: Sapo

Bruce Springsteen, Rock in Rio – Fonte: Sapo

Poderíamos elencar vários itinerários, no entanto, e com a proximidade do verão, falemos sobre a vertente cultural. Os festivais de verão são “um veículo” de turistas, quer internos quer externos (internacionais), e Lisboa é a cidade forte desses eventos. Rock In Rio, Super Bock Super Rock, Nos Alive, EDP Cool Jazz, são alguns dos festivais que levam até Lisboa muitas pessoas para se divertirem e para aproveitarem o que de melhor a capital possuí.

O tempo em Lisboa?

De clima mediterrânico, Lisboa por norma tem temperaturas amenas, onde o sol brilha na maioria dos dias do ano e onde a temperatura média do ano passado ficou-se pelos 17.4 ºC. Temos um bom clima, o que ajuda a selecionar mais facilmente Lisboa como um destino turístico. Contudo, os custos baixos, as excelentes condições de alojamento e alimentação são também fatores de eleição.

Torre de Belém - Lisboa

Torre de Belém – Lisboa

Turismo de Lisboa

Em 2016, Lisboa conseguiu ser a quinta cidade europeia com o crescimento mais rápido em número de visitantes internacionais, segundo o estudo “Global Destinations Cities Index“.

A restauração é outro setor em franco crescimento, tendo a autarquia local organizado este ano um evento de eleição dos melhores restaurantes. Assim sendo, o feeling não poderia deixar de fazer referência a estes locais. No entanto, e segundo o Observador, desde 2016, existem 35 novos e bons restaurantes em Lisboa que tem mesmo que experimentar!

Para que saiba que não o enganamos, Lisboa foi eleita uma das 25 cidades europeias para serem visitadas em 2017

Pontos de Interesse de Lisboa

Cidade das sete colinas, aqui poderá vislumbrar a cidade em cerca de 18 pontos distintos que certamente o deixarão encantado. Referimo-nos aos Miradouros do Castelo de São Jorge, mais abaixo o Miradouro de de Santa Luzia, ao de Santo Estevão ou aos mais conhecidos o Miradouro de Nossa Senhora do Monte ou o Arco da Rua Augusta. Existem muitos outros, por isso não perca a oportunidade de encher a memória com estas paisagens!

O Fado é indissociável de Lisboa. Nas ruas ouve-se, respira-se e sente-se o fado! O tom saudosista deste género musical caracteriza as vielas e as gentes lisboetas. Por tudo isto, um local de interesse será sempre uma casa de fados. Sentir toda a envolvente e este espírito é único! Para se sentir alfacinha terá que vivenciar e apreciar o fado.

MAAT- Fonte: Amanda Levete Architects

MAAT- Fonte: Amanda Levete Architects

Com a abertura do MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia ) a corrida aos museus lisboetas encontra-se mais viva que nunca. Mas fique a conhecer igualmente o famoso Museu dos Coches, o Museu Calouste Gulbenkian, o MUDE- Museu do Design e da Moda, entre outros. Se eventualmente quiser conhecer o MAAT, terá que se descolar para a zona de Belém, o que fará com que vislumbre os ex-libris do turismo lisboeta: o Monumento dos Descobrimentos, o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém. Tudo isto com o rio Tejo como pano de fundo.

Lisboa não é apenas cultura, posto isto não poderíamos deixar de elencar um ponto importante que é o desporto. Desta dita, a vida de Eusébio e a sua estátua (um dos maiores marcos da história desportiva portuguesa) são pontos de interesse de qualquer português ou de qualquer estrangeiro.

 

https://www.flickr.com/photos/vreimunde/4367128745/in/photolist-7DUFec-LKhht-56mCEp-5aBdTv-5Uf7to-5UaJCv-5UaK8P-5Ufaxd-5UaJpg-fBDj7q-5UaKUB-fBDj9s-5UaKCV-fBDiXh-fBDj4q-63T9iV-fBDj75-86anXf-5UaM5p-7TL7HW-63Xnum-86anzN-Rzr177-sayX65-aFNSeg-tn1jV-nHua7A-de6DMj-spPUAN-s8P5Ez-spQGmf-5UaLsg-867c3a-37iWf7-d78Frq-4ebXve-56TmRz-56XwLu-mgPCfg-47xEec-mgPyr4-srXFUd-2EMrAJ-zijRWR-saxq3W-spSjPd-saFsFV-sayLtU-srYaMC-rvkbyX

5 das praias mais bonitas em Portugal

Com a primavera a pronunciar-se, e os primeiros raios de sol a espelharem e a aquecerem os nossos dias, a imagem de toalha estendida e de pés enterrados na areia está cada vez mais próxima.

Para isso começamos por elencar algumas das praias prediletas dos portugueses, e algumas das nossas opções também!

Moledo – Caminha

Do norte advém paisagens de beleza singular e muito distintas. No entanto, não se esqueçam do vento típico do norte (mais conhecido como nortada) e das águas bem frescas!

Praia de Moledo- Caminha (Fotografia de Beachcam – Meo)

Santa Cruz – Torres Vedras

A Praia de Santa Cruz é conhecida pelo seu grande e dourado areal e pelo soberbo e vasto oceano… Detentora de uma beleza selvagem e irreverente, esta praia já mais será esquecida pelos seus visitantes.

Praia de Santa Cruz – Torres Vedras

Praia da Figueirinha

De mar calmo e de beleza envolvente, estes atributos fazem com que a Figueirinha seja uma das mais conhecidas praias e por isso muito concorrida na época veraneante.

Pixabay

Praia da Arrábida

Praia da Comporta

A sul da Península de Troia, a praia da Comporta ostenta um enorme areal, possuindo ainda um espaço natural preservado, onde ainda se conserva a vegetação original. Aqui o mar é relativamente calmo e a água é translúcida.

https://www.flickr.com/photos/vreimunde/4367128745/in/photolist-7DUFec-LKhht-56mCEp-5aBdTv-5Uf7to-5UaJCv-5UaK8P-5Ufaxd-5UaJpg-fBDj7q-5UaKUB-fBDj9s-5UaKCV-fBDiXh-fBDj4q-63T9iV-fBDj75-86anXf-5UaM5p-7TL7HW-63Xnum-86anzN-Rzr177-sayX65-aFNSeg-tn1jV-nHua7A-de6DMj-spPUAN-s8P5Ez-spQGmf-5UaLsg-867c3a-37iWf7-d78Frq-4ebXve-56TmRz-56XwLu-mgPCfg-47xEec-mgPyr4-srXFUd-2EMrAJ-zijRWR-saxq3W-spSjPd-saFsFV-sayLtU-srYaMC-rvkbyX

Praia da Comporta – Flickr

Cacela Velha – Algarve

Instalada em pleno Parque Natural da Ria Formosa, acessível em maré baixa, a praia da Cacela Velha é conhecida também pela Praia da Fábrica. Em 2015, foi eleita pela revista Traveler como uma das melhores praias para se visitar.

https://static.noticiasaominuto.com

Praia da Cacela Velha – Fábrica

Guardar

Elvas repleta de turistas e de monumentos

Elvas

O concelho de Elvas está integrado nas paisagens do Norte Alentejano, caraterizada por horizontes amplos, vastas searas, sobreirais, olivais, vinhas, e fortificações deslumbrantes.

A cidade é calorosa e amistosa à primeira vista, de cores quentes e casas caiadas, por estas bandas poderá aprofundar a história de Portugal e deslumbrar-se com as gentes alentejanas.

Planícies Alentejanas

O Património

Pelas ruas respira-se a história, não existe rua sem uma casa histórica, um monumento, em cada esquina uma igreja.

Poderá começar por visitar o Castelo, obra islâmica, reconstruída nos séculos XIII e XIV. A fortificação foi palco de importantes acontecimentos da história do país como tratados de paz.

O Forte da Graça é o ex-libris, vista de longe pelos que se aproximam do concelho, o forte encontra-se plantado num monte a norte do centro da cidade.

“Constituído por três corpos: as obras exteriores, o corpo principal e o reduto central é um exemplo da arquitetura militar de tipologia Vauban. O corpo central é formado por quatro baluartes tendo a meio da cortina sul a porta principal de uma beleza fenomenal”.

No ano passado, e em apenas um ano, o Forte da Graça, recebeu 75 mil visitantes, o que o torna a âncora para o desenvolvimento de Elvas. De salientar que foi em em 2012, que o Forte se tornou Património da Humanidade.

Os doces conventuais e o bacalhau

Para além da cultura, Elvas possui uma gastronomia única, com três pratos muito específicos, marcado pelas Ameixas de Elvas e pela Sericaia, doces conventuais. No entanto, o afamado Bacalhau Dourado, é falado em todos os cantos do mundo, muito graças à inscrição no Livro do Guiness, ao ser confecionado em Elvas o maior bacalhau dourado do mundo!

Os motivos para a visita são de sobra, só lhe falta arranjar um tempo na sua vida quotidiana e encantar-se com o que Elvas tem para lhe presentear.

Carnaval no centro de Portugal: o que escolher?

O Carnaval contemporâneo, constituído por cortejos e fantasias, são frequentes por todo o território português. Contudo, o centro de Portugal detém dos mais famosos e animados carnavais.

O frio não demove os foliões, nem a vontade de satirizarem social e politicamente, como já é costume nos corsos carnavalescos dos portugueses. Para que possa divertir-se um pouco mais nesta época festiva, sectorizamos três pontos que poderá escolher.

Carnaval na praia

Figueira da Foz: com início no dia 24 de fevereiro, com o corso infantil, a grande avenida da praia da Figueira da Foz ficará ainda mais preenchida entre os dias 26 e 28. Carlos Queirós e a cantora Romana são as figuras mediáticas convidadas para as festividades carnavalescas.

Mira: A comemorar 100 anos, o concelho de Mira organiza muita folia entre os dias 19, 26 e 28 de fevereiro, com DJS tanto na cidade como na praia de Mira. A não perder!

Mira- Atividades Carnavalescas

Mira- Atividades Carnavalescas

Peniche: O Oeste conta com mais um ano em grande nas andanças carnavalescas! Peniche reserva-lhe uma mão cheia de dias animados (24, 25, 26, 27, 28 de fevereiro). Programe um dia e divirta-se com DJS, matinés, cabeçudos e tudo o que entusiasma um corso de carnaval.

 Carnaval na Serra

Covilhã: para os amantes da neve e de atividades mais radicais, nada como passar uns dias na serra mais alta de Portugal, a Estrela. De 24 a 28 de fevereiro, entre jantares, aulas de zumba, atuações musicais, e atividades na Serra da Estrela, o que não passará por cá é a monotonia…. Atreva-se a ter um carnaval diferente!

Carnaval da neve - Serra da Estrela

Carnaval da neve – Serra da Estrela

Guarda: A Guarda já é reconhecida pelo seu carnaval tão tradicional e diferenciador. Como as próprias noticias indicam, “Um Carnaval genuinamente Português na cidade mais alta”. Desfiles carnavalescos, o Julgamento do Galo e Tabernas do Entrudo, são algumas das exclusividades propostas pelo município para atrair visitantes à cidade.

Carnaval na cidade

Estarreja: com uma agenda mais alargada, os festejos tiveram início no dia 18 de fevereiro, e prolongam-se até dia 28. Em Estarreja, o carnaval é vivido de forma intensa e com muita alegria. Quem quiser assistir aos desfiles é de maior importância não se esquecerem de comprar os bilhetes, que vão dos 2 aos 5 euros.

Mealhada: para este não há muitas palavras, ficamo-nos apenas pelas imagens…

Cabanas de Viriato: a capital da típica dança dos Cús! Com concertos que decorrem de 24 a 28 de fevereiro, Cabanas de Viriato fará reavivar a tradição carnavalesca desta zona.

Carnaval em Cabanas de Viriato

Carnaval em Cabanas de Viriato

Torres Vedras: conhecido como um dos maiores carnavais de Portugal, se nunca presenciou a toda esta animação, não pode faltar este ano! Com corso diurno e noturno, aqui não se pode esquecer da máscara, porque se sentirá desenquadrado. Mascare-se de divirta-se com tanta animação.

 

Bragança: 5 motivos para visitar

Os 5 temas selecionados estão intimamente relacionados com os costumes e tradições brigantinas.

Castelo

É regular, em Portugal, verificarmos fortificações próximas da fronteira com o país vizinho. E o Castelo de Bragança não é exceção.

“Construído ainda no reinado de D. Sancho I (concessor do 1º foral em 1187) D. Dinis, nos fins do séc. XIII, teria mandado construir o primeiro castelo (mais um “castelo novo” dos muitos que foram edificados no seu tempo), afirmando-se, assim, a importância do aglomerado.

Quando visitar o lugar ficará espantado com a conservação de todo o local, inclusive das casas aglomeradas no perímetro da muralha. É um edifício grande, bonito, com cafés e restaurantes para poder apreciar cada momento deste local fantástico.

Rio de Onor

Aldeia emblemática de Bragança, em Rio de Onor as suas gentes usam um dialeto muito próprio (o rionorês). O uso deste dialeto é para fazer jus à memória, ao orgulho do seu passado e das suas tradições.

Inserida na extensão do Parque Natural de Montesinho é, é uma aldeia simbólica, com casas típicas serranas em xisto com varandas muito mimosas, tudo muito bem recuperado.

Aldeia bastante turística, aqui encontrará pontos turísticos fantásticos e singulares, bem como um local para dormitar ( o Parque de Campismo Rural de Rio de Onor).

Aldeia de Montesinho

A norte da cidade de Bragança, na fronteira com Espanha, a aldeia de Montesinho partilha o nome com a serra que a acolhe. A 1000 metros de altitude, Montesinho é uma aldeia típica transmontana, que lhe transmitirá serenidade, e o seduzirá! Passe uns dias instalado numa das casas adaptadas para turismo, em granito, com telhados em lousa e varandas em madeira, muito tradicionais nesta região. Por aqui as paisagens são de cortar a respiração, destacando-se a paisagem a barragem da Serra Serrada.

Gastronomia

A gastronomia de Bragança destaca-se pela origem dos ingredientes e pela qualidade dos produtos. Cozinha de confeção relativamente simples, damos-lhe o exemplo da saborosa posta de vitela mirandesa (temperada com sal e colocada nas brasas) é um pitéu de salivar por mais.

Os pratos de caça confecionam-se de maneira tradicional, de onde saem aromáticos estufados paladares únicos e muito típicos.
Na mesa transmontana nunca faltam os enchidos como as alheiras, chouriças, salpicões, presuntos, chouriços de mel, e também o típico butelo que, acompanhado pelas casulas (cascas de feijão secas), é rei do festival gastronómico realizado na cidade por esta altura.
Região de soutos, é pelo outono que chegam os cogumelos e as castanhas, que marcam presença nas ementas regionais. Pode esquecer-se de alguns pormenores, mas da gastronomia brigantina já mais!

Arte Urbana

A nova tendência cultural, a arte urbana, também já é um marco na cidade de Bragança. Com o cunho de um dos principais artistas portugueses da atualidade, Bordallo II, inova nos cenários das cidades, reciclando vários materiais que supostamente, já não teriam mais vida.

Em Bragança, o artista optou pela construção de dois animais, na mesma rua, que por sinal uma das ruas mais movimentadas de Bragança. Uma doninha e um camaleão (intitulado Camuflagem Urbana) foram os bichos escolhidos para ornamentar as paredes brigantinas. Estas duas obras são dignas de serem contempladas após um passeio pela cidade.

Penhas da Saúde - Manuel Ferreira Photography

A neve e 5 outras razões para visitar a Covilhã no inverno

É certo que já lhe demos 5 motivos para se deslumbrar com a Covilhã, contudo, e com a chegada do inverno e da neve, nada melhor do que ressalvar a qualidades mais que evidentes de uma cidade 5 estrelas! Por isso, prepare a bagagem, aperte o cinto, teste os travões porque o seu próximo destino é a Covilhã, a Serra da Estrela e a neve!

1. O Carnaval também é na neve

Carnaval da Neve '17

Carnaval da Neve ’17

Faltam pouco mais de duas semanas para o carnaval, e esta pode ser a desculpa perfeita para fugir às comemorações e rumar a um destino mais invernoso. Ou seja, à Covilhã e à neve.

A Serra da Estrela está carregada de um manto branco, e a Estância de Esqui Vodafone é a escolha certa para quem prefere comemorar o carnaval em Portugal e aproveitar para praticar desportos de neve.

Tendo em conta que fevereiro é um mês de eleição para a prática de desportos de inverno, quem tiver a possibilidade de juntar um dia de férias ao do Carnaval tem a desculpa perfeita para escorregar encosta abaixo neste destino de neve.

2. As Penhas da Saúde

As Penhas da Saúde é uma local a 1500 metros de altitude, pertencente ao município da Covilhã, e é um lugar de montanha que irá deliciar miúdos e graúdos.

Esta aldeia de montanha está localizada no coração da Serra da Estrela, condecorada com um belo cenário montanhoso, e recheada de hotéis, restaurantes e diversões típicas para esta época.

3. O Alojamento. Onde ficar?

O que por aqui não falta são locais de estadia como é o caso dos hotéis. Poderá optar por dois locais distintos para albergar, na cidade da Covilhã ou nas Penhas da Saúde, em plena aldeia de montanha!

Os hotéis variam consoante as necessidades ou a carteira de cada turista. Isto porque há hotéis luxuosos e caros, bem como hotéis cómodos e a preços bem mais acessíveis.

Na Serra da Estrela: Chalés de Montanha, Luna Hotel Serra da Estrela, Hotel dos Carqueijais, Pousada Serra da Estrela, Pousada da Juventude.

Na cidade: H2otel Congress & Spa, Solneve, Pura-Lã, Tryp D. Maria Hotel, Casa com História, Quinta da Amoreira, Alojamentos da Serra da Estrela.

Já que lhe falamos de locais onde ficar e no carnaval deixamos-lhe uma opção bastante viável: A Pousada Serra da Estrela dispõe de um programa específico para o Carnaval a partir de 118 euros, por noite, para quarto, com pequeno-almoço incluído. Para além de aproveitar a neve e a paisagem local, também poderá aproveitar para visitar algumas das atrações da zona da Serra da Estrela.

4. A Gastronomia. Onde comer?

Vir à Covilhã ou à Serra da Estrela e não apreciar o que de melhor a gastronomia serrana tem para oferecer é um crime!!

Das Penhas da Saúde até à saída para a autoestrada, variadíssimos são os locais de repasto. Enumerámos-lhe alguns para que não necessite de uma pesquisa alargada nem morosa: Varanda da Estrela, Casa do Clube, Hamburgueria da Serra, Restaurante Scadas, Restaurante O Lago, A Lenda do Viriato, a Quinta da Hera ou para um belo petisco a Taberna Laranjinha.

A nossa sugestão centra-se no Arroz de Zimbro do Ti Manel, da Varanda da Estrela.

Foto retirada do Facebook da Câmara Municipal da Covilhã

5. Os Percursos Pedestres

Após as degustações serranas nada melhor que esmoer todas as calorias ingeridas. Neste caso, e para os amantes da caminhada, trekking ou da fotografia, a serra é cenário mais bonito e mais indicado. Com calma e com serenidade, conheça quais os percursos existentes e toda a informação sobre fauna, flora e paisagem referente a cada um deles.
As Salgadeiras, Na Senda dos Pastores, e a Grande Rota do Zêzere (GR33).

Para terminar deixámos-lhe o hino da Covilhã, imortalizado pela diva do Fado, Amália Rodrigues, mas com uma nova versão, cantada pelo fadista Ricardo Ribeiro. Para que se apaixone ainda mais pela Cidade Neve!