Praia da Claridade, Figueira da Foz, em 1988

Figueira da Foz, a Rainha das Praias de Portugal

Antes da Guerra Civil Espanhola, era comum encontrarmos os “nuestros hermanos” mais endinheirados a esbanjarem alegremente as suas pesetas pela Figueira da Foz e pelo Casino Oceano, inaugurado em 1898.

A “Rainha das Praias de Portugal” era também destino recorrente e privilegiado das famílias ricas da Beira, que se podiam deslocar rapidamente através da ferrovia pelo ramal da Pampilhosa ou pelo de Alfarelos.

As Praias

A Praia da Claridade celebrizou-se no século XIX quando atraía à Figueira da Foz milhares de banhistas de todo o país. A zona onde se localiza ficou conhecida por Costa de Prata, graças ao tom prateado da luz do sol em contacto com a água do mar. Foi talvez a praia que mais sofreu com as intervenções realizadas ao longo dos anos. Hoje, a praia tem cerca de 1 km de largura frente ao Grande Hotel (os figueirenses dizem que é preciso ter um camelo para ir tomar banho) .

A Praia de Buarcos, é curiosamente um dos postais mais bonitos da Figueira da Foz. Esta praia de areia dourada, com um areal um pouco menos extenso do que a Praia da Claridade, é ideal para um dia bem passado em família ou com os amigos.

Se não gosta de andar a pé e prefere o mar logo “ali à mão”, então descubra a praia da Tamargueira. Logo a seguir ao areal da Praia de Buarcos, antes de começar a subida para o Cabo Mondego e Serra da Boa Viagem, encontrará uma praia um pouco mais sossegada, com um areal significativamente menos extenso e com maior oferta de lugares de estacionamento.

A Gastronomia

A Gastronomia é sem dúvida um dos ex-líbris da Figueira da Foz. A riqueza gastronómica com base no peixe e marisco, é gulosamente complementada por sobremesas típicas e algo irreverentes. São exemplo disso as Brisas da Figueira da Foz e as Papas de Moado. Autênticos memoriais colectivos de costumes e tradições.

Um pouco por toda a cidade encontrará excelentes restaurantes onde poderá degustar a característica frescura dos produtos do mar.

A Cultura

O CAE – Centro de Artes e Espectáculos, inaugurado em 2002, é uma referência da Região Centro no que diz respeito a espectáculos Culturais.

CAE – Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz

CAE – Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz

O  Casino da Figueira da Foz

O Casino da Figueira da Foz, antigo Casino Peninsular, é um dos mais antigos da Península Ibérica. A licença de jogo está em vigor desde 1927. Os responsáveis consideram “…demasiado redutor ver este espaço apenas como um local de puro entretenimento. Também o é, mas é, sobretudo, um lugar de referência e acolhimento para quem aqui chega, com renascida vontade de criar um legado artístico.

Além das salas de jogo, o Casino está equipado com salas de espectáculo onde se pode frequentemente assistir a performances variadas.

A Arquitectura

São vários os imóveis com interesse arquitetónico espalhados um pouco por todo o concelho.

No que diz respeito à Arquitetura Civil destacamos o Palácio Sotto Mayor (uma luxuosa vivenda de estilo francês ), o Castelo Engenheiro Silva (recentemente restaurado), a Casa das Conchas (adornada por azulejos com motivos marinhos e influências da Arte Nova) e o Casino Oceano (ao gosto da sociedade da “belle époque”).

Casino Oceano, Figueira da Foz

Casino Oceano – Carnet de Voyage

Ao nível da Arquitetura Militar o destaque vai para o Forte de São Pedro de Buarcos (Classificado como imóvel de Interesse Público) e para o Forte de Santa Catarina (determinante e imponente na defesa da barra do Mondego).

A Arquitectura Religiosa é porventura a mais profícua em exemplares. Destacamos a Igreja Paroquial de Nossa Senhora dos Remédios (Bom Sucesso) , o Mosteiro de Seiça (um edifício lendário cuja história deveria ser motivo suficiente para uma intervenção de restauro e conservação) e a Igreja Matriz de São Julião (talvez o templo mais antigo de Figueira da Foz).

Figueira da Foz – A Origem do Nome

Podemos procurar a origem do nome na lenda que afirma provir de uma figueira existente no cais da Salmanha, onde os pescadores amarravam os barcos.

Segundo Nelson Correia Borges, o nome resulta da sobreposição de várias palavras com o mesmo significado: Figueira seria «fagaria» (abertura, boqueirão); Foz deriva do latim «fauces» (embocadura) ; Mondego compõe-se do pré-romano «moud» (boca) e «aec» (rio). Ao pronunciar-se Figueira da Foz do Mondego repete-se, assim, «boca da boca da boca do rio».

Casa das Penhas Douradas

Deixe-se seduzir pela Casa das Penhas Douradas

O Boutique Hotel Casa das Penhas Douradas, Design Hotel e SPA

A construção da Casa das Penhas Douradas, Design Hotel e SPA, tem na sua essência  a arquitectura local.  As preocupações ambientais, alinhadas com os valores do Parque Natural onde se insere, são evidentes.

Em plenas Penhas Douradas, um dos lugares mais puros de Portugal, podemos desfrutar de um conjunto de actividades ao ar livre que nos afastam do stress e do dia a dia.

Estrada do Malhão, Penhas Douradas

Estrada do Malhão, Penhas Douradas – Manuel Ferreira Fotografia

Aproveite para percorrer os arredores do Hotel. Vai descobrir lugares únicos, pintados de cores diferentes, em cada época do ano.

Visite o Vale do Rossim logo ali ao lado. No verão poderá divertir-se no espelho de água, com várias actividades de animação turística que ali são desenvolvidas, ou refrescar-se nas águas translúcida da lagoa.

Redescubra o Covão da Ponte e dê por si em plena harmonia com a natureza.

A Serra da Estrela tem já cerca de 250 km de percursos pedestres marcados, muitos deles podem ser percorridos de bicicleta, por isso a variedade é grande… é só escolher.

De volta ao Hotel, aproveite o Spa e renove-se. Ar, água e altitude aqui são sinónimos de Saúde.

www.casadaspenhasdouradas.pt

Do complexo da piscina pode olhar a Serra da Estrela de uma outra perspectiva. As janelas panorâmicas funcionam como quadros vivos, pintados pela mais virtuosa das pintoras, a Natureza. É uma sensação única poder desfrutar de um banho quente enquanto vemos a neve cair do lado de fora.

A gastronomia é desafiante. Um misto de cozinha regional com cozinha de autor. Sabores fortes e únicos, harmonizados por vinhos selecionados.

Em cada época do ano, a Serra oferece matéria prima gastronómica distinta e de enorme qualidade.

A truta, o cabrito, a castanha, a abóbora, a carqueja, o zimbro, as ervas, os queijos (de ovelha ou de cabra), os cogumelos selvagens… São só alguns exemplos da riqueza de sabores que a Serra humildemente nos oferece e que o Restaurante da Casa das Penhas Douradas, delicadamente converteu em pratos deliciosos.

Um hotel único e múltiplas experiências…