Montebelo Viseu Congress Hotel: o requinte aliado à simplicidade

Próximo do centro da cidade de Viseu, este hotel 5 estrelas oferece-lhe a comodidade de 172 quartos, um SPA e um campo de golfe para os aficionados da modalidade.

Para quem se desloca de pontos longínquos do país, não será custoso encontrar a unidade hoteleira. Geograficamente, é um hotel central, visto que o distrito de Viseu, no mapa, é bastante centralizado, e posteriormente, as vias de acesso são deveras simplificadas.

No que toca às comodidades do complexo, o Montebelo Viseu Congress Hotel oferece-lhe uma vista panorâmica sobre a paisagem circundante, bem como um amplo complexo hoteleiro para poder disfrutar de uma estada muito relaxante.

Comodidades

Piscina exterior para o verão e piscina interior climatizada para os dias mais chuvosos são duas grandes mais valias que certamente quererá descobrir nesta unidade. Mas as opções não se limitam por aqui, os tratamentos de SPA e de bem estar são outras regalias deste hotel. Os visitantes podem utilizar livremente a sauna, banho turco, jacuzzi, ginásio ou simplesmente relaxar no Pool Lounge.

Para quem preferir a prática de um desporto, poderá deleitar-se com o golfe. Situado entre serras, a 15 minutos do hotel, o golfe Montebelo alia a beleza do campo ao proveito do traçado. Jogar no golfe Montebelo é um verdadeiro desafio para os amantes deste desporto!

Relativamente aos quartos, por norma são bastante amplos e com uma decoração minimalista e sóbria, o que o fará sentir-se em casa. Os espaços em comum são afáveis e largos, o que permite a permanência de muitas pessoas sem grandes ruídos.

O bar do Montebelo Viseu Congress Hotel é sem dúvida um encanto, sempre com música ambiente muito agradável, com ótimo atendimento e com uma vista para a piscina exterior fantástica.

Para os mais exigentes, podemos garantir um ambiente moderno e acolhedor, em plena harmonia com o requinte, que tornará a visita memorável.

Nota informativa

Mais se informa que o grupo hoteleiro do Montebelo Viseu Congress Hotel é detentor de mais 6 unidades hoteleiras em Portugal e outros 6 hotéis em Moçambique.

Entrada do hotel Montebelo Viseu Congress Hotel

Entregue-se à tranquilidade e aos banhos termais do Cró Hotel Rural

Conforto é a palavra que melhor caracteriza a estância termal e o Cró Hotel Rural. A unidade hoteleira e termal à vista de qualquer visitante assenta em 4 pilares bastante simples: na arquitetura, na qualidade do serviço, no conforto, na saúde e bem estar.

Cró Hotel Rural – A arquitetura

Próximo do centro do concelho raiano do Sabugal, por entre terras esquecidas por muitos, e ao fundo de estradas ziguezagueantes, situa-se a estância termal do Cró, juntamente com a unidade hoteleira que será difícil não ser reconhecida imediatamente. A primeira impressão é positiva. Amplo parque de estacionamento no exterior e uma localização isolada que convida ao descanso.

De arquitetura audaz e de decoração elegante, a unidade toda ela em tons suaves e com a madeira como matéria-prima de eleição encantá-lo-á.

Qualidade do serviço

Com pessoal que dedica especial atenção aos hospedes, simpático e eficiente, nesta unidade nada é deixado ao acaso. Na receção é tratado gentil e dedicadamente, bem como na restauração. Com um serviço cuidado na hora de servir as refeições, não necessitará de estar alerta à procura do funcionário para o ajudar a escolher ementa ou auxiliar na forma de funcionamento dos variados espaços.

 

O conforto

A comodidade dos 30 quartos do Cró Hotel Rural, muitos deles com varanda, é evidente! Por muito que se encontrem pequenos pormenores menos abonatórios, na generalidade o conforto é visível. Os quartos não são exageradamente grandes, mas são modernos, com pormenores distintivos e com as regalias necessárias a um hotel de 4 estrelas.

As casas de banho são interessantíssimas, equipadas com banheira panorâmica, onde ajuda à invasão solarenga que serena todo o espaço.

 

Saúde e bem-estar é no Cró Hotel Rural

Com uma panóplia de atividades de saúde e bem estar disponíveis, aqui encontrará um moderno balneário termal com equipamentos de tecnologia de ponta e recursos humanos altamente qualificados, aliando a saúde, a prevenção e a manutenção ao bem estar, através de serviços de termalismo terapêutico bem estar e fisioterapia.

Só terá de se preocupar em levar o fato de banho, ou calção, os chinelos e a  touca, o restante (toalhas, e roupões) são disponibilizados sem ter que requisitar. Isto porque, qualquer hóspede do hotel tem acesso à piscina lúdica, e beneficiam de descontos em todos os serviços do balneário (exceto consulta médica)

Descubra 7 Maravilhas da Aldeia Histórica do Piódão

O acesso ao Piódão é difícil mas a recompensa é enorme. Logo à chegada será contemplado por uma vista panorâmica da aldeia. Casas em xisto, com os telhados de lousa negra e as janelas e portas pintadas de azul, dispostas quase como num anfiteatro meticulosamente planeado.

Com o protesto do corpo doente pelos safanões tormentosos da longa caminhada, vim aqui despedir-me do Portugal primevo. Já o fiz de outras imagens da sua configuração adulta. Faltava-me esta do ovo embrionário.

(Torga, Piódão, 7 de Abril de 1991)

Se chegar ao anoitecer, a iluminação artificial da aldeia vai-lhe permitir perceber o porquê de Piódão ser conhecida como a “Aldeia Presépio”.

Piódão pertence ao Concelho de Arganil e faz parte da rede das “Aldeias Históricas de Portugal”. Está classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1978.

A Igreja Matriz de Piódão

Por entre os tons escuros do xisto e da lousa, dominando toda a praça, destaca-se a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, padroeira de Piódão. Caiada de branco, com detalhes em azul turquesa, é um edifício peculiar que sofreu remodelações ao longo dos anos.

Igreja Matriz do Piódão - www.visitarganil.pt

Igreja Matriz do Piódão – www.visitarganil.pt

É provável que a primitiva igreja do Piódão, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, padroeira da freguesia, tenha sido construída no século XVII, conforme algumas referências.

A existência de uma escultura em calcário dedicada a Nossa Senhora da Conceição da segunda metade desse século e anterior a 1676, data da criação da freguesia, poderá também ser contemporânea da edificação da Igreja.

No final do século XIX a fachada da Igreja Matriz ameaçava ruir e foi reconstruída ao sabor do gosto neo-barroco, eclético e romântico da época, por iniciativa do cónego Manuel Fernandes Nogueira. As quatro finas torres cilíndricas rematadas em cones, parecem conferir movimento à frontaria, enquanto a torre sineira de planta quadrada se encosta a meio da fachada sul da Igreja.

Conta-se que um dia os habitantes juntaram todo o ouro disponível e mandaram um velho pastor pedir ao Bispo de Coimbra autorização para construir a igreja. Perante tão dispendiosa solicitação, preparava-se o Bispo para recusar o pedido, quando o velho pastor, abrindo o seu barrete serrano, lhe mostrou as luzidias moedas de ouro necessárias a tal empreitada.

Capela de São Pedro

Bem no topo da aldeia, encontramos a Capela de São Pedro, um pequeno templo do século XVI. No interior está a imagem de São Pedro, padroeiro do Piódão. Todos os 29 de junho se festeja em honra deste santo.

Capela das Almas

Sofreu diversas transformações desde o século XVIII até hoje. Representa as almas do purgatório e foi durante vários anos capela mortuária do Piódão e de outras aldeias circundantes.

Praia Fluvial de Piódão

Na ribeira do Piódão encontra-se uma zona fluvial que reúne as condições perfeitas para a prática da atividade balnear. Com água fresca, límpida e inserida num local bastante arborizado, a Praia Fluvial torna uma simples visita em momentos que desejará repetir.

Praia Fluvial do Piódão - www.visitarganil.pt

Praia Fluvial do Piódão – www.visitarganil.pt

Em 2016, esta praia foi galardoada com Bandeira Azul, atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), que atesta a qualidade superior da água, as características da envolvente e a qualidade de infraestruturas de apoio e segurança.

Museu do Piódão

O museu situa-se na praça principal da aldeia. Foi inaugurado em 2003. Foi antes morada do pintor Torres Vilaça.

A vida do coletiva do Piódão ao longo dos séculos é recordada no museu. A maior parte das peças foram doadas pelos habitantes… Desde fotografias antigas até a peças que faziam parte do quotidiano dos habitantes da aldeia. Passando por algumas peças curiosas como por exemplo um aerodínamo artesanal que, no início da década de 60, forneceu pela primeira vez energia elétrica à aldeia.

O museu é uma extensão do Museu Etnográfico de Arganil.

A paisagem envolvente

Ao atravessar a Serra do Açor, por caminhos e veredas, somos presenteados com uma paisagem verdadeiramente deslumbrante. De arganil a Piódão são cerca de 35 Km repletos de pontos de interesse paisagístico.

Serra do Açor - www.visitarganil.pt

Serra do Açor – www.visitarganil.pt

Arquitetura da aldeia de Piódão

A aldeia do Piódão mantém o traçado antigo e irregular, característico das aldeias medievais. Há harmonia na construção e a integração no meio é quase perfeita.

Piódão - www.visitarganil.pt

Piódáo – www.visitarganil.pt

Algumas Curiosidades

Na construção tradicional, não era utilizado cimento na edificação das paredes de Xisto dos edifícios.

Vai encontrar algumas cruzes no topo das portas. Normalmente coloca-se uma cruz por ano. Invocam proteção a Santa Bárbara contra as trovoadas e “todos os males”.

A primeira estrada para o Piódão só foi construída em 1972. A estrada mais próxima acabava a 12 quilómetros da aldeia.

Piódão não é a povoação original. Existia num vale ali perto um outro povoado designado de “Casal de Piodam”, que quer dizer “o povo que anda a pé”.

O Piódão sempre foi referenciado como local de refúgio de bandidos e heróis populares. Consta do culto e do imaginário popular que, alguns foragidos da justiça, com João Brandão, o Oliveirão e o Zé do Telhado, se refugiaram na Aldeia. Ainda que um dos assassinos de D.Inês de Castro, Diogo Lopes Pacheco, terá encontrado abrigo na casa do abade, enquanto fugia às tropas reais.

Moura, terra soalheira e afável

É de salientar que o famoso Alqueva é outra das fronteiras desta terra tão acolhedora. Para além desta forte ligação com a barragem, a cidade possuí uma grande abundância de água. Moura tem inúmeras fontes, sendo também conhecida pelas suas termas e pela celebre Água do Castello.

História Mourense

Concelho com uma população residente de 15.167 habitantes, Moura revela em cada recanto uma história, e em cada local um motivo diferente para se deslumbrar. Mas a história desta terra advém de tempos longínquos, mais concretamente da pré-história. Na zona de Santo Aleixo são detetáveis vestígios que comprovam uma ocupação pré-histórica, sobretudo na Herdade da Negrita, onde se encontra um importante conjunto megalítico.

Moura- Foto da Câmara Municipal de Moura

Moura- Foto da Câmara Municipal de Moura

Já o Castelo assenta sobre um povoado da Idade do Ferro de comprovada importância política e económica, contemporâneo do Castro da Azougada, dos Ratinhos e do Álamo, onde em 1930 foi feito um importante achado de cinco peças em ouro, hoje depositado no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia.

O Castelo foi reconstruído no séc. XIV, numa época em que fora incrementada a ocupação do espaço extra-muros, com a expansão da Vila pelos arrabaldes.

Fonte: Câmara Municipal de Moura

A gastronomia e os produtos regionais

O Alentejo já é reconhecido pelo sua vasta diversidade e qualidade na área gastronómica, e Moura não é exceção. Com uma produção rica em azeite, vinho, mel, pão e bolos, as entidades do concelho estimulam a comercialização destes produtos endógenos através de certames e festas. Com aproximadamente 90 produtores e comerciantes destas iguarias facilmente poderá adquirir ou levar até à sua mesa alguma destas delícias.

Artesão e artesanato mourense (Fotografia do Município de Moura)

Artesão e artesanato mourense (Fotografia do Município de Moura)

Mas o artesanato é outro “hábito” das gentes mourenses. As cadeiras de buinho, o ferro forjado, os trabalhos em xisto, a cestaria e a latoaria são peças do património de Moura que não deve deixar de conhecer e até quem sabe adquirir.

Moura e os monumentos

Por entre ruas estreitas e casas pintadas de branco a cidade foi crescendo em volta de todo o património e de tudo o que a caracteriza.

O concelho tem dois monumentos nacionais, a Igreja de São João Batista, em Moura, e a Igreja Matriz de Santo Aleixo, para além de um apreciável conjunto de imóveis e conjuntos classificados (Quartéis, Igreja de São Pedro, Mouraria, Anta da Negrita).

O visitante pode ter a noção perfeita da história de cidade e do concelho num percurso pelo património e pela história local. Para além do património histórico e cultural merece a atenção dos visitantes as paisagens circundantes do concelho.

Festas e Romarias

Anualmente realizam-se em Moura, a Feira do Bovino Mertolengo, a Feira Empresarial, a Feira do Artesanato e, de dois em dois anos, a Olivomoura – Feira Nacional de Olivicultura.

Numa cidade que vive de forma intensa os seus costumes, as Festas da Padroeira, em honra de Nossa Senhora do Carmo (em julho), que trazem a Moura milhares de visitantes, e certamente também merecem a sua visita a esta terra tão afável!

Conhece a Quinta de Maderne? Descubra as razões para a visitar…

Geograficamente bem localizada, a Quinta de Maderne tem uma exposição solarenga e ao mesmo tempo húmida e fresca, componentes necessárias para produção das especialidades desta propriedade, bem como obrigatórias para a realização de eventos.

Vista aérea da Quinta de Maderne

Área e disposição da propriedade de Maderne

A Quinta já conta com três gerações, iniciada com os pais de Manuel Faria, impulsionador de todo o projeto, que neste momento tem num dos filhos, Sérgio Faria, a garantia na continuidade da atividade.

Produzido na Quinta de Maderne

Em Maderne, as particularidades são certas e muito calorosas. Aqui as especificidades chegam-nos através da produção de vinhos de qualidade onde predominam os brancos das castas Loureiro, Arinto, Azal e Avesso, tendo no seu Alvarinho/Trajadura o seu expoente máximo. Para um bom vinho verde a frescura e o sabor frutado são atributos obrigatórios, não sendo os vinhos de Maderne exceção.

Vinho Verde Quinta de Maderne

Vinho Verde Quinta de Maderne

Kiwi amarelo

Mas a produção de kiwi, produto típico de Felgueiras, ganha aqui outros contornos. Inicialmente a produção de kiwi surge como um reforço na exploração agrícola, no entanto, as ligações através de protocolo ao maior grupo mundial de produção de kiwi (Zespri), faz com que Maderne se destaque no mapa da produção de kiwi.  A especialidade centra-se na variedade do kiwi amarelo, um fruto menos agre que o habitual kiwi “verde”, sabor agridoce, que agrada a mais consumidores.

Kiwi amarelo servido na Quinta de Maderne

Kiwi amarelo servido na Quinta

Plantação de Kiwi Amarelo

Plantação de Kiwi Amarelo

“Wine Bar”

Mas se nenhum dos pontos anteriores lhe é suficiente para a visita, tem ainda um espaço que o fará mudar de ideias. Os proprietários chamam-lhe “Wine Bar”. Acomodado numa casa rústica toda remodelada, um acolhedor bar recheado de mesas de madeira e uma elegante lareira seduzi-lo-á. Num ambiente envolvente a meia luz, aqui poderá degustar um bom vinho e “Carpe Vitae”, aproveitar a vida!

Wine Bar - Quinta de Maderne

Wine Bar – Quinta de Maderne

Posto isto, considere uma visita não apenas numa vertente gastronómica ou viníca, mas também numa vertente mais cultural e lúdica, visto que a Quinta de Maderne tem tanto para lhe proporcionar.

8 Lugares em Portugal que combinam natureza e lazer

Na cauda da Europa, Portugal detém uma extensa costa marítima, repleta de praias, mas também detém amplas planícies, grandiosas montanhas, e ainda as pérolas do atlântico, os magníficos arquipélagos da Madeira e dos Açores. A natureza é rainha por estas bandas.

Lagos - Algarve

Lagos – Algarve

Região do Douro

A mãe natureza abençoou Portugal, chegando mesmo a roçar a perfeição… Para lhe comprovar tal afirmação começamos por lhe falar do Douro, que segundo um dos jornais mais influentes do mundo, o New York Times, A região do Vale do Douro, tem tanto a seu favor que chega a ser ridículo”.

De visita obrigatória este território tem para lhe oferecer paisagens indescritíveis, fauna e flora singular, bom vinho, boa mesa e ainda passeios de barco irresistíveis.

Parque Nacional da Peneda Gerês

Mas a beleza natural portuguesa é transversal a todo o território nacional. O Gerês é outro bom exemplo. Desta vez foi o jornal britânico The Guardian que considerou o parque da Peneda-Gerês “uma área de beleza natural e um testemunho da ocupação romana, com as suas estradas e marcos com dois mil anos”. Para além de todos estes atributos, o Gerês é ainda o “Rei” das caminhadas organizadas, com mais de uma centena de atividades anuais.

Curso de Água na Serra da Estrela

Curso de Água na Serra da Estrela

A majestosa Serra da estrela

No ponto mais alto de Portugal continental o mistério e majestosidade da bela Serra da Estrela são por si só adjetivos suficientes para conhecer cada recanto. Mas atributos como os desportos de inverno, a neve, e a gastronomia farão com que se apaixone pela maior montanha em Portugal.

Fotografias por Manuel Ferreira

Como pode comprovar em apenas três regiões tem mais do que razões suficientes para arranjar algum tempo, convidar a família e partir à descoberta deste nosso Portugal. Mas muito está por ser desvendado, nós aqui apenas lhe apresentamos o que já é de simples acesso. O melhor é partir à descoberta…

Passadiços do Paiva em consonância com a natureza

Em 2015 foram inaugurados os Passadiços do Paiva, no concelho de Arouca. São oito quilómetros pelo interior do vale do rio Paiva que permitem um contacto único com a natureza. A inauguração decorreu em junho e desde essa altura foram percorridos, diariamente, por milhares de pessoas. Para este ano de 2016 está marcada a reabertura, agarre a oportunidade, desfrute desta aventura e descubra a maravilha Arouquense.

Serra da Arrábida, entre a terra e o mar

Mais a sul, a serra da Arrábida é o local mais completo para quem é amante de serra e de mar. Esta zona consegue aliar o que de melhor existe entre o verde da serra e o azul do mar. Aqui não poderá deixar de passear de barco no Estuário do Sado, descobrir as praias da Arrábida, percorrer os trilhos da serra da Arrábida  e claro, deliciar-se com um peixe grelhado fresquinho.

Pixabay

Serra da Arrábida – Setúbal

Alentejo é Zen

Mas se pedissem para caracterizar o Alentejo, todos diriam que ele é Zen. O Alentejo é sol, é o caiado das casas, é a história e cultura, é o gaspacho, é o vinho, é a calma alentejana, são as planícies a perder de vista. O Alentejo é enorme, no total sentido da palavra, quer em território, quer em beleza, quer nas gentes! Mas para o lazer esta região soma pontos relativamente às anteriores devido à planura, que facilita os passeios a pé ou de bicicleta, ou de cavalo, um símbolo que faz parte do local.

Arquipélago da Madeira

Hiking - Ilha da Madeira - natureza

Hiking – Ilha da Madeira

A faustosa ilha da Madeira é um local onde encontra o que pretender. Passará do luxo do Funchal para a singularidade do Pico Ruivo. Com os seus 1862 metros de altitude, o Pico Ruivo é a terceira montanha mais alta de Portugal. A fauna e flora que aqui irá encontra não verá em mais lado nenhum, isto porque o clima na ilha é diferenciado por natureza de qualquer outro local em Portugal. Por isso, não perca tempo, marque as próximas férias para esta maravilha e desfrute do que melhor a apaixonante ilha da Madeira tem para si.

Se prefere o sol e a praia então visite Porto Santo… vai ficar maravilhado com uma das mais belas praias do mundo.

Arquipélago dos Açores

Santa Maria - Açores

Santa Maria – Açores

Para o final deixamos-lhe a diamante português, os Açores. Quando falamos em natureza, é obrigatório referir esta pedra preciosa no meio do atlântico. O que deve conhecer nos Açores? Pergunta bem… Tudo! Cada uma das 9 ilhas tem a sua magia e particularidade.

Do envolvente azul oceânico, aos campos verdejantes, dos passeios entre ilhas, passando pela tranquilidade das gentes açorianas ou pela gastronomia, tudo é bonito de ser ver. Se procura paz e relaxe não encontrará local mais indicado que os Açores.

A Mui Nobre e Sempre Leal Vila de Marvão

Empoleirada em enormes rochedos, no topo da Serra do Sapoio, a mais de 800 metros de altitude, esta enorme estrutura defensiva de muralhas e baluartes, foi desde muito cedo e até ao século XIX preponderante na defesa do País. Marvão participou em todas as guerras de Portugal contra inimigos externos, fazendo parte da primeira linha defensiva do território português.

A beleza arquitetónica e paisagística é realmente extraordinária. Edifícios históricos bem preservados… jardins cuidados… todo o conjunto edificado está em harmonia guardando a singularidade do burgo medieval.

As “ruas entrelaçadas”, repletas de edifícios imaculadamente caiados de branco, são como um labirinto onde para onde quer que se olhe se vislumbra uma preciosidade…as portas e janelas são de arquitetura variada e constantemente embelezadas por flores em vasos suspensos.

A vista? A vista é de se perder na imensidão do horizonte. De um lado Espanha, do outro Castelo de Vide… Há inclusive quem vislumbre a Serra da Estrela bem lá longe no topo de Portugal Continental.

Castelo de Vide desde Marvão

Fortificação Medieval

O caráter singular do património arquitetónico militar da fortaleza de Marvão, é o facto de ele representar aquilo que em terminologia militar se designa por sobreposição de fortalezas. As diversas fases estão bem documentadas, as suas dimensões são gigantescas, a sua localização é ímpar e a conservação é exemplar.

Fortificação Militar - Marvão

Fortificação Militar – Marvão

Vale pelo seu conjunto, no entanto, podemos destacar alguns elementos da fortificação com valor individual: a cisterna grande, dos finais da Idade Média / princípios da Idade Moderna. As Portas de Ródão, Portas da Vila e o Postigo do Torrejão.

fonte: Câmara Municipal de Marvão

Igreja de Santa Maria, Marvão

Trata-se de uma construção gótica, que sofreu várias remodelações a partir do século XVI.

Igreja de Santa Maria - Marvão

Igreja de Santa Maria – Marvão

O portal principal, de granito, voltado a nascente, foi reestruturado no século XVI. Apresenta um frontão interrompido, encimado por uma janela rectangular, ladeado por uma torre quadrangular com dois olhais. O acesso à torre é feito através de escada em caracol de granito, do século XVI.

Interiormente mantém o espaço com três naves separadas por arcadas de pilares a sustentar três arcos redondos, em alvenaria.

É hoje Museu Municipal.

fonte: Câmara Municipal de Marvão

Igreja de S. Tiago, Marvão

Também esta igreja é de traça gótica. O portal é encimado por uma cruz da Ordem de Malta. O interior conserva o espaço primitivo de três naves, onde o retábulo da capela mor, relativamente recente, substitui um antigo de talha.

fonte: Câmara Municipal de Marvão

Sugestões e Curiosidades

Existem muitos mais pontos de interesse que devem ser visitados e que não estão refletidos neste artigo. A oferta gastronómica é variada e aconselha-se. Existem também inúmeros alojamentos de qualidade.

À saída, junto ao Rio Sever, pode ver ainda uma ponte quinhentista. E pode passar numa estrada com um peculiar túnel de árvores.

Marvão foi fundado no século IX pelo árabe Ibn Maruan.

Ficam as dicas.

Lamego com história… Venha descobri-la!

Datada do tempo dos romanos, foi em Lamego que terão decorrido as lendárias Cortes de Lamego, onde terá sido feita a aclamação de D. Afonso Henriques como Rei de Portugal e se estabeleceram as linhas orientadoras de “Sucessão ao Trono”.

Localizado na margem sul do rio Douro, é considerada uma cidade histórica e monumental, pois possui uma grande quantidade de monumentos, igrejas e casas brasonadas, sendo também uma diocese portuguesa.

Religião

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego

Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego

Lamego é sede da diocese homónima, a única diocese portuguesa que não corresponde a uma capital de distrito. Por aqui os monumentos religiosos são inúmeros, dos quais se destacam a Sé Catedral, a Igreja de São Pedro de Balsemão e o Santuário da Nossa Senhora dos Remédios. Este último é o mais reconhecido pelos portugueses em geral, isto porque existe uma romaria anual com o mesmo nome.

Gastronomia e produtos regionais de Lamego

Conhecida também pela sua gastronomia, por aqui poderá degustar os deliciosos presuntos ou o cabrito assado. Mas a mais famosa é a bôla de Lamego, tradicionalmente confecionada na “Pastelaria da Sé”, casa emblemática na produção das Bôlas de Lamego. Esta casa emblemática encontra-se em fase de expansão, tendo sido inaugurada há pouco tempo na Avenida da Boavista, na cidade do Porto, mais uma Casa das Bôlas.

Douro

Passeios no Rio Douro

Passeios no Rio Douro

A produção de vinhos, nomeadamente do vinho do Porto e de espumantes é outra das relíquias lamecenses. Com a proximidade com o Rio Douro, e com o exponencial crescimento do turismo nesta região, Lamego tem vindo a ganhar cada vez mais notoriedade no panorama turístico português. No entanto, essa notoriedade também advém de bons produtos e boas “casas”, como é o caso da Quinta da Pacheca. Famosa pela comercialização de vinhos (Pacheca), esta quinta é ainda conhecida pelo seu hotel, pelas visitas guiadas às provas e cursos de vinhos, bem como pelo restaurante.

Feira Medieval

Feira Medieval - Foto da Câmara Municipal de Lamego

Feira Medieval – Foto da Câmara Municipal de Lamego

Outra iniciativa promovida nos últimos anos é a Feira Medieval. Com um número de visitantes já considerável e de participantes também bastante aliciante, a atividade festiva atrai mais movimento a esta cidade e é um chamariz cada vez mais importante. Com arruadas musicais, torneios de armas, mercado medieval e cortejos alegóricos a animação será sempre o mote deste evento.

O melhor do fumeiro transmontano

Mas o que não sabíamos era que as feiras dos fumeiros são as rainhas das cidades do interior!

Está cada vez mais em voga os certames dos fumeiros de norte a sul do país. Por aqui iremos falar-lhe das iniciativas desenvolvidas no nordeste transmontano.

presunto de fumeiro tradicional

Boticas e a XIX edição da Feira Gastronómica do Porco

A primeira feira realiza-se nos dias 13, 14 e 15 de janeiro, em Boticas, com a XIX edição da Feira Gastronómica do Porco, que certamente fará da cidade um local de passagem obrigatório.

XXVI Feira do Fumeiro de Montalegre

Marcada também já está a XXVI Feira do Fumeiro de Montalegre. É o regresso da “rainha” do fumeiro à capital do Barroso, entre os dias 26 e 29 de janeiro.

37º Feira do Fumeiro de Vinhais

Mas a feira das feiras, a mais antiga do país, a de Vinhais, realiza-se nos dias 9, 10, 11 e 12 de fevereiro de 2017. Na sua 37ª edição haverá venda e exposição de fumeiro (IGP), artesanato, espaço gourmet, tasquinhas, animação, máquinas agrícolas, chegas de touros e perícia equestre são algumas das atividades deste certame que é um sucesso já comprovado.

Festival dos Sabores Mirandeses

No mês de fevereiro, de 17 a 19, o concelho de Miranda do Douro recebe o Festival dos Sabores Mirandeses. Mas nem só de enchidos se faz este festival, a bola doce mirandesa, os frutos secos, as compotas e doces também constam da “ementa”. No entanto, o artesanato Mirandês também é um forte atrativo, aqui poderá adquirir uma série de objetos que fazem parte do quotidiano das gentes mirandesas.

Pixabay

Festival do butelo e das casulas em Bragança

Mas a grande surpresa ainda está para ser desvendada. Essa surpresa é o Festival do butelo e das casulas. O butelo parte do aproveitamento do porco, ou seja, é envolvido pela bexiga ou pelo bucho, recheado de ossinhos do espinhaço e das costelinhas, tornando-se responsável por um inigualável sabor. Durante o Festival, será possível adquirir ou provar as casulas, que são as cascas de feijão secas.

E como o entrudo está próximo e em Portugal para a sua celebração é costume saborear enchidos, portanto, aproveite estes certames e faça-se à estrada para se deixar seduzir pelo fumeiro transmontano!

Quinta do Lago: o paraíso do golf, do sol e do descanso

Almancil, freguesia do concelho de Loulé, com cerca de 11 136 habitantes (censos 2011), é uma freguesia que acolhe dos locais mais fantásticos e extravagantes do Algarve. A zona costeira desta freguesia conta com cerca de 12 km, e é onde se localizam as famosas praias do Ancão, Quinta do Lago, Garrão e Vale do Lobo. A Quinta do Lago é também uma das atrações desta freguesia. Atualmente vários empreendimentos turísticos de renome internacional localizam-se em Almancil e alguns dos campos de golfe desses empreendimentos estão considerados entre os melhores da Europa.

Campos de Golfe no Algrave

A vertente de paisagem natural da freguesia não pode igualmente ser esquecida, isto porque a parte ocidental do Parque Natural da Ria Formosa, sítio de elevado valor botânico e habitat natural de raras espécies ornitológicas, fica aqui localizada.

Vários são os temas para expormos, contudo, iremos debruçar-nos apenas sobre a Quinta do Lago. Conhecido também pelo seu Resort de luxo que se estende em cerca de 645 hectares de floresta de pinheiros e lagos no extremo sul de Portugal. O resort é delimitado por quilómetros e quilómetros de belas praias e pela beleza invulgar do Parque Natural da Ria Formosa.
O destino oferece aos seus hóspedes e moradores, a mistura ideal de infraestruturas de primeira classe, um estilo de vida de elite e o isolamento total no coração de alguns dos campos de golfe mais prestigiados da Europa.

Como é óbvio este destino não é para todas as carteiras, no entanto, nada o limita de apanhar sol ou banhar-se numa das maravilhosas praias que o rodeiam o resort, e como é lógico, ficar a conhecer todo o espaço circundante que é sem sombra de dúvidas fascinante!

Umas das particularidades da Quinta do Lago é o facto de para ir até à praia, terá de atravessar uma ponte pedonal, instalada sobre a Ria Formosa e que o levará às praias deslumbrastes, de mar calmo e de areias finas.