Procura praias amigas das crianças? Duas estão em Portugal

O Jornal britânico “The Telegraph” publicou no passado dia 22 de dezembro de 2015, os 10 melhores destinos de férias na Europa com as praias amigas das crianças, colocando duas praias portuguesas no pódio.

Pixabay

Praia

No infinito de várias praias pela Europa, o prestigiado jornal destaca a Praia de Salema, em Vila do Bispo, e a praia do Barril, em Tavira como as duas melhores para quem tem filhos com idades inferior a três anos e querem passar férias descansados.

É verdade que ainda estamos em janeiro, mas é certo também que gostamos de planear as férias com antecedência, e nada melhor do que aproveitar algumas sugestões.

Para quem tem crianças lá em casa certamente procura praias com águas calmas, pouco profundas, que permitam que a criança possa explorar tudo em seu redor, e que ofereçam algum tempo aos pais para relaxarem. Mas o areal também convém ser amplo, para que as “escavações” durante horas intermináveis possam ser contempladas pelos pais.

O extremo ocidental do Algarve permanece intacto e é uma área de beleza natural preservada. Na pequena aldeia de Salema, tranquila e discreta, encontrará uma aldeia piscatória que ainda permanece autêntica. Praia de bandeira azul, com areia fina e águas cristalinas, na Salema encontrará ainda pescadores típicos algarvios.

Pixabay

Barco Piscatório

Já a segunda praia, a do Barril, encontra-se no lado oriental do Algarve, uma zona soalheira mas com atrações. Desde logo poderá visitar a Ilha de Tavira, e depois aproveitar para tirar umas fotos às âncoras que se encontram depositadas ao longo de todo o areal, e que simbolizam a história piscatória daquela localidade. A praia do Barril pertence ao Parque Natural da Ria Formosa e é uma praia muito procurada pela extensão, beleza natural e águas tranquilas.

Pixabay

A calma e tranquilidade, o areal extenso e as águas límpidas e serenas estão reunidas nestas praias para que possam levar as suas crianças de férias e mesmo assim conseguir descansar sem ter que se separar dos miúdos.

Carnaval, Portugal e o Tradicional

A origem do carnaval está relacionada com a união das palavras latinas “carnis” (carne) e “valles” (prazeres). Mas como todos nós também sabemos, o carnaval é a festividade que antecede a primeira festa religiosa de cada ano, a Páscoa.

A luta entre o Carnaval e a Quaresma. Pieter Bruegel o Velho. 1559

A luta entre o Carnaval e a Quaresma. Pieter Bruegel o Velho. 1559

O evento carnavalesco nasceu da Igreja Católica, no século XI. Desde aí, quarenta dias antes da Semana Santa, e antes de se proceder ao período de privação, conhecido como jejum pascal, o “entrudo” leva à mesa dos portugueses as carnes gordas e a folia. A gastronomia é rica e “gorda”, devido aos enchidos e carnes gordas, que preenchem o cozido à portuguesa, a feijoada à transmontana ou o sarrabulho (guisado com os miúdos do porco, ou cabrito, misturado com sangue e temperado com cominhos).

Mas o carnaval como hoje conhecemos surgiu apenas na época do Renascimento, altura em que começaram os bailes de máscaras e as fantasias.

O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, mais famosos em Portugal são os da Mealhada, Torres Vedras, Loulé, Ovar, Madeira, e Sines. Mas mesmo que a iniciativa tenha o senão de se dar em pleno inverno, o frio não demove os foliões, nem a vontade de satirizarem social e politicamente, como já é costume nos corsos carnavalescos dos portugueses.

Vamos rapidamente enumerar as vantagens em escolher um evento em detrimento de outro:

Por exemplo, na Madeira não faltará um desfile majestoso, bastante abrilhantado, acompanhado do típico fogo de artifício.

Em Torres Vedras, as matrafonas (homens vestidos de mulheres) são o mote, bem como a sátira politica.

Na Mealhada, numa versão mais brasileira, poderá assistir ao Corso Luso – Brasileiro e no último dia ao desfile trapalhão.

cabecudos-viana-do-castelo

Por Rosino – Flickr: [1], CC BY-SA 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=18357171

O famoso cortejo com sátira política e social em Loulé conta com 15 carros alegóricos, escolas de samba, gigantones e cabeçudos, por isso aproveite e dê uma fugida até ao Algarve.

Se preferir o norte, em Ovar, o Carnaval já arrancou (no dia 16 de janeiro), prolongando-se até 9 de fevereiro, mas com uma programação diferenciadora, arrojada e para vários públicos.

Em Sines, os foliões contam com três dias de corso, mas é na segunda-feira, que tem o seu ponto alto, com o desfile noturno e com os seus carros alegóricos iluminados.

Nestes dias de carnaval, para além dos grupos organizados, inúmeros foliões anónimos participam livremente nos desfiles e na festa.

carnaval-de-podence-2008

By Rosino ([1]) [CC BY-SA 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)], via Wikimedia Commons

Mas não podíamos falar de carnaval sem mencionar os Caretos, personagens típicos de algumas aldeias de Trás-os-Montes. Um careto é um homem disfarçado, que anda pelas ruas das aldeias transmontanas, com uma máscara que serve para meter medo, em especial as meninas solteiras. Por norma, as meninas ficam em casa a vê-los pela janela, o que leva a que eles trepem pelas varandas, para ir ter com elas e fazer muito barulho com os chocalhos que usam pendurados na cintura e guizos nos tornozelos.

Aqui há tempos visitei Portalegre

Portalegre? Não sei muito bem qual o motivo mas sempre me senti atraído pelo Alentejo…

Não é que haja falta de razões para alguém se sentir empolgado com esta região… simplesmente não encontro nada nas minhas raízes que me explique este fascínio por ela…Talvez o facto de ser uma pessoa reservada e encontrar lá o sossego e a tranquilidade que necessito para o meu equilíbrio possa servir como razão… ou porque gosto de história… cultura… e de natureza… ou então apenas porque sou um fã das coentradas e das açordas…

Portalegre - Vista da Capela do Calvário

Portalegre – Vista da Capela do Calvário

Bem! Acho que me estou a dispersar um pouco do tema já que vim cá foi mesmo para falar desta cidade norte Alentejana denominada Portalegre.

Portalegre tornou-se cidade a 23 de maio de 1550. Foi elevada a esta categoria pelo Rei D. João III. É capital do distrito com o mesmo nome desde 18 de julho de 1835.

Portalegre - Sé Catedral vista do Castelo

Portalegre – Sé Catedral vista do Castelo

Talvez o cunho da época medieval seja o mais evidente nesta cidade, mas não é com certeza o único. A variedade arquitetónica é enorme e um passeio pelo centro histórico da cidade pode revelar-se surpreendente. Suba ao Castelo e espreite a cidade de uma outra perspetiva. Visite a Sé Catedral de Portalegre, o Museu Municipal e a Casa Museu José Régio… Descanse à sombra do centenário plátano cuja copa atinge os 111 metros de perímetro… Almoce num dos vários restaurantes da cidade e aprecie a mistura de tradição e modernidade…

Portalegre - Plátano Centenário

Portalegre – Plátano Centenário

Se é um amante da natureza e das atividades ao ar livre pode desfrutar da variedade da fauna e flora do Parque Natural da Serra de São Mamede. Faça os percursos pedestres sinalizados. Percurso Pedestre das Carreiras e Percurso Pedestre do Reguengo. Chegue ao pico da Serra de São Mamede e estará no ponto mais alto do Alentejo, com 1025 metros de elevação. Vai avistar para norte o Marvão e Castelo de Vide e para oeste, se tiver sorte com a visibilidade, o Oceano Atlântico.

Portalegre - Santos Populares

Portalegre – Santos Populares

Se visitar por altura dos Santos Populares divirta-se à noite nas ruas da cidade e aproveite para jantar uma bela sardinhada ou uns secretos de porco preto em coentrada… Bem! Tudo isto são só sugestões…

Quando voltar lá, porque vou voltar, o texto será outro mas o fascínio será o mesmo…

Os 10 melhores destinos religiosos em Portugal

O Turismo religioso está limitado ao calendário e tem como intuito a crença, pelo que se distingue de outros segmentos do turismo.

Em Portugal, cerca de 75% do património português é de origem religiosa, e segundo a Confederação do Turismo Português, em 2010, o turismo religioso em Portugal foi responsável por 700 milhões de euros, embora não hajam dados oficiais.

Mas o que realmente queremos não é falar em estatísticas mas sim que visite o que Portugal tem de melhor para lhe oferecer. Comecemos pelo norte…

Santuário do Bom Jesus em Braga

Santuário do Bom Jesus em Braga

O Santuário do Bom Jesus em Braga surge na lista dos locais religiosos mais visitados depois de Fátima. Rodeado por uma densa vegetação, ao visitar este local sozinho ou em família, contará sempre com uma visita agradável. Tem as míticas escadas que são uma das atrações. Todo o espaço envolvente é natural e intemporal.

No Gerês, mais propriamente em Terras de Bouro para além de conhecer um pedaço do Parque Natural do Gerês ficará ainda muito surpreendido com o imponente Santuário do São Bento da Porta Aberta. Lugar que vale sempre a pena visitar quer pela sua grandiosidade quer pela envolvência.

[cwpiframe src=”http://my.ctrlq.org/maps/#street|0|-167.40234375|-11.425781250000005|41.70145111571709|-8.834686875343323″ name=”Igreja de Santa Luzia, em Viana do Castelo” sandbox=”allow-scripts”]

Ainda a norte de Portugal, é imperdoável não conhecer a Igreja de Santa Luzia, em Viana do Castelo. Erigida no alto da cidade, com uma vista soberba, este local religioso é grandioso e de uma beleza incontornável.

Com o rio Tâmega a seus pés, a Igreja de São Gonçalo, em Amarante vai fazê-lo apreciar cada canto e cada escultura. Com uma beleza muito própria e com uma envolvência muito melancólica é sempre um passeio muito agradável.

No centro do país, o Mosteiro de Alcobaça é um dos mais reconhecidos monumentos religiosos. Mas esta arquitetura religiosa não satisfaz apenas com uma visita rápida, é necessário uma vista pormenorizada ao interior. Com uma arquitetura única e imponente, pode sempre reservar um dia com a família e percorrer cada pedaço de história entranhado neste local.

Pixabay

Mosteiro de Alcobaça

O Santuário de Fátima, em Leiria,  é o principal destino do turismo religioso em Portugal. Lugar de devoção, ao entrar no recinto logo se sentirá envolvido por toda a crença que por lá paira. Com cerca de cinco milhões de visitantes por ano, em Fátima encontrará inúmeros hotéis, restaurantes e cafés para que possam aproveitar da melhor forma a estada.

Pixabay

Santuário de Fátima

Outro local a não perder é Tomar, cidade de grande encanto, rica em história e cultura. Um dos locais que vale a pena visitar é o Convento de Cristo. Conforme vai percorrendo cada canto do convento vai descobrindo algumas preciosidades, como o portal renascentista, a Janela Manuelina, a arquitetura do Claustro Principal e muitos outros pormenores.

Ainda no centro mas um pouco mais acima, em Lamego, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios vai levá-lo a um local religioso mas também levá-lo a fazer um pouco de exercício! A subida para a Igreja tem cerca de 700 degraus, por isso usufrua do dia para conhecer o local, apreciar as vistas e embrenhar-se nos jardins que envolvem a escadaria.

De uma dimensão única, o Palácio de Mafra caracteriza-se pela sua grandiosidade, riqueza e magnificência. Ao olhar o Palácio de frente, o visitante irá observar que bem no centro, encontra-se uma igreja. Este local religioso encanta pela mistura de imponência e delicadeza. As cores no interior do santuário ajudam a suavizar o ambiente.

Incontornável será ir a Lisboa e nunca ter visitado o Mosteiro dos Jerónimos. De estilo Manuelino, de uma imponente fachada e com uma localização invejável, este espaço é Património Mundial da UNESCO e um dos pontos turísticos mais visitados em Portugal.

Pixabay

Mosteiro do Jerónimos

Outros locais ligados à religião com um número significativo de visitantes e que não deverá perder são: o Santuário da Senhora da Penha, em Guimarães, a Batalha e Vila Viçosa (Alentejo).